Melhores e piores ações de 2021

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

Melhores e piores ações de 2021.

Aqui no Blog do Grana, você terá informações sobre quais foram as 10 ações que tiveram melhor desempenho na Bolsa (B3) no ano passado, e quais os 10 papéis que tiveram pior desempenho, de acordo com estudo da Economatica.

Confira na sequência do texto:

Melhores ações de 2021

Embraer (EMBR3): +180,45%

O investidor pessoa física que investiu seu dinheiro num cenário de ficção científica – com “carros-voadores” elétricos cruzando as grandes metrópoles do Planeta Terra no futuro- ganhou dinheiro em 2021.

O aplicador de Embraer (EMBR3) viu o valor das ações disparar 180,45% no último ano. Ou seja, se você aportou R$ 10 mil em EMBR3, viu seu capital alcançar a cifra de R$ 28.045 em 365 dias.

Entre os fundamentos, a Embraer investiu em sua subsidiária Eve, que desenvolve um protótipo de um veículo aéreo vertical elétrico, o EVTOL, também apelidado pelo mercado de “carro-voador”.

Ao longo de 2021, a Embraer e a Eve estabeleceram uma série de parcerias globais para viabilizar o desenvolvimento do projeto, que já recebeu diversas encomendas para o futuro.

Em outras palavras, o projeto não é apenas um “sonho” ou “filme de ficção científica”, mas sim, um projeto que pode ser viável e concretizado no futuro.

Braskem (BRKM5): +176,29%

O investidor que percebeu que a futura troca de controladores (antiga Odebrecht e Petrobras) da Braskem pode ser positiva para companhia também ganhou dinheiro com essa expectativa.

Quem acompanhou o mercado ao longo de 2021 observou que os bancos credores da endividada Odebrecht pressionaram pela venda da fatia acionária da Braskem.

As negociações foram intensas e demoradas, mas depois houve um acordo para a realização de uma oferta de ações, em que os controladores (antiga Odebrecht e a Petrobras) vão vender a fatia acionária em 2022.

Com essa perspectiva, as ações da Braskem dispararam 176,29% ao longo de 2021.

Ou seja, quem investiu R$ 10 mil em Braskem viu seu capital alcançar o valor de R$ 27.629,00 em 2021.

Para 2022, vale destacar que a realização da oferta de ações pode ser um fator para a realização de lucros, ou seja, de venda para obter os ganhos acumulados.

Ou também pode ser um risco para quem está entrando só agora em Braskem, cuja ação só é recomendada para o longo prazo.

JBS (JBSS3): +75,74%

Entre idas e vindas de embargos da China à carne brasileira, a ação da JBS disparou 75,74% beneficiada pelo aumento das exportações e também pela valorização de 7,46% do dólar em relação ao real.

Ou seja, quem investiu R$ 10 mil em JBS chegou ao final de 2021 com um valor de R$ 17.574,00.

Marfrig (MRFG3): +73,04%

Quase no mesmo ritmo da JBS e pelos mesmos motivos, a ação da Marfrig subiu 73,04% em 2021.

Ou seja, quem aplicou R$ 10 mil em Marfrig viu seu capital alcançar o valor de R$ 17.304,00 no final de 2021.

PetroRio (PRIO3): +47,24%

Puxada pela alta de 50,1% do petróleo Brent no mercado internacional, a ação da petrolífera carioca PetroRio avançou 47,24% em 2021.

Ou seja, quem aportou R$ 10 mil em PetroRio viu seu capital atingir o valor de R$ 14.724,00 no final de 2021.

Petrobras (PETR3): +30,37%

Também puxada pela alta de 50,1% do petróleo Brent no exterior, a ação com direito a voto (ON) da estatal brasileira Petrobras subiu 30,37% no ano passado.

Em outras palavras, quem investiu em R$ 10 mil em PETR3 viu seu capital alcançar o valor de R$ 13.037,00 no final de 2021.

Vale citar que o mercado considera que a Petrobras não repassou todos os aumentos do petróleo para seus produtos no Brasil, justificativa para esse desconto na valorização das ações.

Méliuz (CASH3): +29,66%

A estreante Méliuz foi uma das poucas surpresas positivas das ofertas públicas iniciais de ações (IPOs) da Bolsa no ano passado.

A empresa de programas de cashback teve alta de 29,66% em 2021.

Ou seja, quem aplicou R$ 10 mil em CASH3 viu seu capital atingir o valor de R$ 12.966 no final do ano.

Gerdau (GGBR4): +25,32%

Impulsionada pelas exportações de aço e pelo crescimento da economia norte-americana, onde a Gerdau atua, a ação avançou 25,32% no último ano.

Em outras palavras, quem aportou R$ 10 mil em GGBR4 viu seu capital alcançar o valor de R$ 12.532,00 ao final de 2021.

Gerdau Metalúrgica (GOAU4): +23,69%

Quase no mesmo ritmo de Gerdau, a ação de Gerdau Metalúrgica (GOAU4) subiu 23,69% no ano passado.

Ou seja, quem investiu R$ 10 mil em GOAU4 viu seu capital atingir o valor de R$ 12.369,00 ao final de dezembro de 2021.

Petrobras (PETR4): +23,51%

Também puxada pela alta de 50,1% do petróleo Brent no exterior, a ação sem direito a voto (PN) da estatal brasileira Petrobras subiu 23,51% no ano passado.

Em outras palavras, quem investiu em R$ 10 mil em PETR3 viu seu capital alcançar o valor de R$ 12.351,00 no final de 2021.

Vale citar que o mercado considera que a Petrobras não repassou todos os aumentos do petróleo para seus produtos no Brasil, justificativa para esse desconto na valorização das ações.

Piores ações de 2021

Magazine Luiza (MGLU3): -71,04%

Depois de figurar entre as maiores altas do Ibovespa em 2020 por causa do “boom do e-commerce”, a realidade alcançou as ações da Magazine Luiza no ano passado.

Na medida em que os balanços de Magazine Luiza foram publicados ao longo de 2021, os analistas ajustavam o valor das ações com os resultados divulgados.

Com esse ajuste, o valor das ações da Magalu caíram 71,04% no ano passado.

Ou seja, quem comprou R$ 10 mil em ações da Magalu nas alturas, e ficou com o papel ao longo de todo o ano, viu seu capital encolher para R$ 2.896,00 ao final de 2021.

Quem permaneceu com o papel ainda vê perspectivas de recuperação para o longo prazo.

Via (VIIA3): -67,51%

Caso semelhante ao de Magazine Luiza, depois de figurar entre as maiores altas do Ibovespa em 2020 por causa do “boom do e-commerce” impulsionado pela pandemia de covid-19, a realidade dos números entregues pela Via chegou ao preço das ações em 2021.

Com o ajuste feito pelo mercado, o valor das ações da Via recuaram 67,51% no ano passado.

Em outras palavras, quem comprou R$ 10 mil em VIIA3 com o preço nas alturas, viu o valor encolher para R$ 3.249 no final de dezembro de 2021.

Da mesmo forma que Magalu, quem permaneceu com Via na carteira vê perspectivas de recuperação para o longo prazo.

Pão de Açúcar (PCAR3): -62,77%

O caso da baixa de Pão de Açúcar é diferente e merece ser melhor explicado para evitar erros de interpretação direta.

No início de 2021, o Grupo Pão de Açúcar reunia duas grandes redes, a própria (Pão de Açúcar/Extra) e a de atacarejo Assaí.

Nos meses seguintes, os acionistas avaliaram que as duas redes estavam subavaliadas e que possuíam um valor maior separadas, do que juntas.

Diante dessa avaliação, os acionistas aprovaram a separação das empresas em duas, Pão de Açúcar e Assaí, e cada acionista recebeu ações das duas empresas separadas.

Com a separação, o papel PCAR3 caiu 62,77% até o final de 2021. Na época da separação das companhias, analistas calcularam que os acionistas originais “não perderam nada”, pois receberam as ações de Assaí.

Mas ainda não há opinião formada se PCAR3 já foi ajustada no piso, ou seja, se já parou de cair. Mas não deve recuperar o valor anterior tão cedo, pois não tem mais os ativos da Assaí no grupo.

Americanas (AMER3): -58,23%

O caso de Americanas (AMER3) e de Lojas Americanas (LAME4) também possui alguma semelhança com a super valorização das empresas de e-commerce em 2020 impulsionada pela pandemia de covid-19.

Mas outro fator que contribuiu para a baixa das ações foi a reorganização societária, o que segundo analistas, não foi devidamente explicada aos acionistas.

A reorganização ainda deverá ocorrer, e dessa forma, no futuro, AMER3 e LAME4 serão reorganizadas em apenas uma ação. Mas esse processo ainda deve ser detalhado e trabalhado ao longo de 2022.

Com esses dois fatores mencionados, AMER3 caiu 58,23% no ano passado.

Ou seja, quem comprou R$ 10 mil em AMER3 nas alturas, viu seu capital encolher para R$ 4.177 no final de dezembro de 2021.

Eztec (EZTC3): -51,71%

Depois de ter sido beneficiada com o forte ciclo de baixa dos juros (Selic) em 2020, a Eztec passou a ser impactada pela virada do sinal do Banco Central e o aumento dos juros em 2021.

Com isso, o papel da construtora Eztec registrou baixa de 51,71% no ano passado. O aumento dos juros afeta o financiamento de imóveis novos.

Quem comprou R$ 10 mil em EZTC3 em 30 de dezembro de 2020 viu o capital original encolher para R$ 4.829 em 30 de dezembro de 2021.

Natura (NTCO3): -51,56%

Como a empresa global possui presença em vários países por meio da Avon e de subsidiárias na Europa, a Natura possui planos de listar a companhia no exterior.

Mas ao que tudo indica, o investidor local não gostou da ideia de uma Natura com sede lá fora e passou a vender as ações da empresa.

Em outras palavras, esse é outro caso em que a comunicação com os investidores não foi devidamente acertada.

Por isso, a Natura viu o valor de suas ações derreter 51,56% em 2021.

Quem aportou R$ 10 mil em NTCO3 antes desse imbróglio viu seu capital encolher para R$ 4.844 no final de dezembro de 2021.

IRB Brasil (IRBR3): -50,86%

Atingida por um crise de notícias sobre sua administração e da troca de executivos e de conselheiros de administração desde o começo do ano de 2021, o papel de IRB Brasil caiu 50,86% no ano passado.

Ou seja, quem comprou R$ 10 mil em IRBR3 em 30 de dezembro de 2020 e permaneceu com o papel viu seu capital encolher para R$ 4.914 em 30 de dezembro de 2021.

Qualicorp (QUAL3): -47,71%

A empresa de planos de saúde ainda não recuperou totalmente da crise causada pela covid-19. Como exemplo, no terceiro trimestre de 2021, reportou lucro 15% menor que no mesmo período de 2020.

Quem investiu R$ 10 mil em QUAL3 em 30 de dezembro de 2020 acreditando que 2021 seria um ano melhor para a companhia e permaneceu com o papel ao longo do ano passado viu seu capital encolher para R$ 5.229 em 30 de dezembro de 2021.

Cogna (COGN3): -46,87%

Ainda afetada pela pandemia de covid-19 que esvaziou faculdades e universidades da Cogna no ano passado, a ação da empresa de educação recuou 46,87% em 2021.

Quem aportou R$ 10 mil em COGN3 em 30 de dezembro de 2020 acreditando que a crise causada pela covid-19 ia abrandar em 2021 e permaneceu com o papel viu seu capital encolher para R$ 5.313 em 30 de dezembro de 2021.

Para o longo prazo, os analistas apontam perspectiva de recuperação para os papéis de Cogna.

Lojas Americanas (LAME4): -45,35%

O caso de Americanas (AMER3) e de Lojas Americanas (LAME4) também possui alguma semelhança com a super valorização das empresas de e-commerce em 2020 impulsionada pela pandemia de covid-19.

Mas outro fator que contribuiu para a baixa das ações foi a reorganização societária, o que segundo analistas, não foi devidamente explicada aos acionistas.

A reorganização ainda deverá ocorrer, e dessa forma, no futuro, AMER3 e LAME4 serão reorganizadas em apenas uma ação. Mas esse processo ainda deve ser detalhado e trabalhado ao longo de 2022.

Com esses dois fatores mencionados, LAME4 caiu 45,35% no ano passado.

Ou seja, quem comprou R$ 10 mil em LAME4 nas alturas, viu seu capital encolher para R$ 5.465 no final de dezembro de 2021.

Fonte: Economatica

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Fique por dentro!

Receba notícias como esta no seu e-mail.

Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App