ETF ALUG11: Conheça o fundo negociado na Bolsa que investe em imóveis nos EUA

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

ETF ALUG11. Depois da estreia do ETF WRLD11, fundo de índice que aplica em mais 9 mil empresas em todo o mundo, a Investo lançou o ALUG11.

Disponível na B3, trata-se de um ETF que replica no Brasil o já mundialmente conhecido ETF VNQ (Vanguard Real Estate), listado na Bolsa de Nova York (Nyse).

Nos Estados Unidos, o VNQ possui cerca de US$ 45 bilhões sob gestão, investindo em mais de 170 empresas americanas do setor imobiliário (US Real Estate).

O CEO da Investo, Cauê Mançanares, explica que os ETFs estão se tornando cada vez mais “queridinhos” para novos investimentos.

De acordo com Mançanares, os ETFs permitem que o investidor compre uma cota que represente uma cesta de ações.

Dessa forma, se pode reunir uma carteira de investimentos com setores, regiões e temas importantes e que apresentam rentabilidade a médio e longo prazo.

Qual é a composição do ETF ALUG11

O ALUG11 é um produto voltado para investimento no setor imobiliário nos Estados Unidos, sendo que o ETF investe 96% em ativos chamados de Real Estate Investment Trust (REIT).

Conforme explica a gestora, os REITs são empresas do setor imobiliário que possuem em seus portfólios imóveis geradores de renda.

Ou seja, os REITs dos Estados Unidos são similares aos chamados “fundos imobiliários” no Brasil.

Na composição do ETF ALUG11 estão os seguintes setores imobiliários: escritórios (4%), hospitais e cuidados de saúde (4%), varejo (10%), industriais (11%), residencial (15%), especializados (38%) e outros (11%).

Empresas com participação na composição do ETF ALUG11

  • REITs especializados: American Tower, Host Hotels & Resorts, Public Storage
  • REITs de escritórios: Alexandria, BXP Boston Properties, Kilroy Realty Corporation
  • Hospitais: Medical Properties Trust (MPT), Aventas, Healthpeak Properties
  • Industriais: Duke Realty, Americolo, Rexford Industrial
  • Residenciais: Equity Residential, Invition Homes, MAA
  • Comerciais: Realty Income, Kimco Realty, Regency Centers

Quais são as características do ALUG11

Com isso, o investimento em um ETF de REITs como o ALUG11  permite aos investidores diversificar seus investimentos com exposição a ativos que possuem baixa correlação com outros setores da economia.

De acordo com Mançanares, um ponto relevante de investir utilizando um ETF é permitir que a carteira de investimentos seja atualizada constantemente.

Conforme as mudanças de mercado, o ETF possui rebalanceamentos trimestrais.

“Um exemplo disso é que há cerca de 10 anos, os imóveis residenciais e comerciais tinham um peso muito maior no mercado imobiliário, entretanto, este cenário é diferente neste momento”, diz o CEO.

De acordo com Mançanares, atualmente, nos EUA, as empresas imobiliárias mais representativas no mercado são as que alugam torres de celulares ou data centers.

“Ao investir em um ETF, o investidor não precisa ficar acompanhando o mercado em tempo real, o próprio índice fará essa atualização”, afirma Mançanares.

Qual é a taxa de administração

A taxa de administração do ALUG11 é de 0,48% ao ano. Importante ressaltar a presença da taxa administrativa cobrada pelo ETF VNQ, de 0,12% ao ano.

Portanto, a taxa total de administração será de 0,60% ao ano, considerando todos os custos, incluindo também o fundo de índice alvo VNQ.

Conforme informa a Investo, o valor inicial para aquisição de uma cota do ALUG11 é de R$ 50 aproximadamente.

O ETF está disponível para negociação e aquisição na B3 desde 29 de outubro de 2021.

Vale lembrar que este ETF é considerado um investimento de renda variável no exterior, logo, os investidores estão expostos à variação cambial (dólar americano – USD). 

Qual a alíquota do Imposto de Renda no ALUG11

Cotas de ETFs de renda variável como o ALUG11 são tributadas em 15% do imposto de renda sobre o ganho de capital em operações normais.

Por exemplo, em daytrade, a alíquota é de 20%, apurado pela diferença positiva entre os valores de venda e de aquisição da cota.

Ou seja, se o investidor compra num preço menor e vende depois num preço maior, registra lucro pelo ganho de capital.

Essa tributação é exatamente como funciona para investimento em ações, mas sem isenção de IR para vendas de ações até R$ 20 mil por mês.

Se o aplicador vende o ETF de renda variável e registra o lucro, o recolhimento do IR deve ser feito pelo próprio investidor via DARF até o último dia útil do mês seguinte.

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Fique por dentro!

Receba notícias como esta no seu e-mail.

Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App