5GTK11: Conheça o fundo que investe em companhias que desenvolvem a tecnologia 5G

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

O que é o fundo 5GTK11

5GTK11 é o código do Exchange Traded Fund (ETF, o fundo de índice negociado em Bolsa) que investe em companhias globais que desenvolvem a tecnologia 5G.

O 5GTK11 foi listado na Bolsa brasileira (B3) em 03 de fevereiro de 2022, com o valor inicial em R$ 95 por cota na abertura dos negócios, acessível para investidores pessoas físicas do varejo.

Aqui no Blog do Grana, você terá informações sobre os principais riscos da nova aplicação financeira disponível na Bolsa e a sobre o Imposto de Renda (IR) sobre ganhos de capital em ETFs internacionais.

Confira na sequência do texto:

Onde o ETF 5GTK11 aplica os recursos dos cotistas

De acordo com informações fornecidas pela gestora Investo, o 5GTK11 investe no ETF FIVG (Defiance Next Gen Connectivity ETF), listado na Bolsa de Nova York (Nyse).

O ETF FIVG replica o BlueStar 5G Communication Index, um índice com foco na transformação digital da comunicação, que suportará bilhões de dispositivos conectados à internet e permitirá que novos dispositivos se comuniquem com a rede 5G em velocidades 100 vezes mais rápidas do que conhecemos hoje.

Nos Estados Unidos, o ETF FIVG possui cerca de US$ 1,3 bilhão sob gestão e investe em 88 empresas do mercado de tecnologia 5G, sendo gerido pela Defiance ETFs, uma gestora de ETFs temáticos.

Qual a composição da carteira do ETF FIVG

Dentre as 88 empresas que o 5GTK11 replica do ETF FIVG, recebem destaque: Qualcomm, Advanced Micro Devices, Analog Devices, NXP Semiconductors, AT&T, Marvell Technology, Verizon Communications, Apple e Amazon, dentre outras.

Quais são os custos de gestão do ETF

Assim como outros produtos de investimento, o 5GTK11 possui uma taxa de administração em 0,48% ao ano.

Os custos de corretagem e de custódia podem ser isentos ou cobrados de acordo com o pacote de serviços da corretora escolhida pelo investidor pessoa física.

Comentários sobre a listagem do 5GTK11 para pessoas físicas

Para Cauê Mançanares, CEO da Investo, investir no 5GTK11, com baixo custo e fácil acesso, pode ser uma boa alternativa para fazer parte de um dos setores mais promissores dos próximos anos.

“Acredito que a tecnologia 5G será uma revolução para permitir bilhões de dispositivos conectados à Internet. Assim como o 3G foi um marco na conectividade de aparelhos celulares, o 5G permitirá que todos os dispositivos da nossa vida sejam conectados, viabilizando carros autônomos, medicina conectada, Internet das Coisas nas indústrias, e muitas outras aplicações. A Investo tem muito orgulho de se antecipar ao mercado e trazer um ETF que simplifica o investimento nesse segmento antes que todos estejam falando sobre conectividade 5G. É o único fundo de investimento focado em 5G do Brasil, e ainda conta com a facilidade e eficiência de ser um ETF”, explica.

Quais são os principais riscos do ETF 5GTK11

Assim como outros ETFs internacionais replicados na Bolsa brasileira, um dos principais riscos a serem considerados é da volatilidade do câmbio.

Ou seja, como os ativos são ações de 88 empresas estrangeiras, qualquer mudança no câmbio das diferentes moedas em relação ao real (dólar x real, euro x dólar, etc.) para cima ou para baixo poderá impactar no valor das cotas do ETF.

Além disso há os demais riscos comuns de aplicações de renda variável na Bolsa:

  • riscos de mercado
  • risco de liquidez das cotas
  • riscos corporativos das ações presentes na carteira
  • risco do bom desempenho recente dessas ações não se repetir no futuro
  • riscos macroeconômicos globais (ex. aumento de juros nos EUA)
  • riscos tributários no Brasil e no exterior
  • risco de concentração num único segmento (ex. tecnologia 5G)
  • risco de substituição dessa tecnologia no futuro por outra melhor ou mais acessível

Imposto de Renda sobre ganhos de capital no 5GTK11

De acordo com as informações da Investo, as alíquotas do Imposto de Renda (IR) são as mesmas cobradas de outros ETFs de renda variável, sendo 15% sobre ganhos na valorização do capital ou 20%, no caso de lucro de curtíssimo prazo obtido com operação de day trade (no mesmo dia).

“Além de serem acessíveis financeiramente, os ETFs estão recebendo cada vez mais destaque no mercado por todas as vantagens que apresentam. Dentre elas, a internacionalização da carteira de investimentos, a exposição a um mercado com grande potencial, a liquidez e, o mais importante, a possibilidade de investir globalmente sem precisar pagar spread cambial e o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras)”, afirma Cauê.

Por fim, sobre a questão dos dividendos, os que são recebidos pelo 5GTK11 serão automaticamente reinvestidos no fundo, ou seja, não há pagamentos feitos aos investidores de maneira direta, mas sim ganhos indiretos por meio da valorização do patrimônio do fundo e das cotas dos investidores.

Imposto de Renda sobre ETFs de forma automática

Para mais informações sobre o Imposto de Renda sobre ETFs de forma automática, consulte sobre as facilidades do aplicativo Grana.

Edição: Ernani Fagundes, jornalista responsável pelo conteúdo do Blog do Grana.

E-mail: ernani.fagundes@grana.capital (mande sua opinião sobre o Blog do Grana e sugestões para melhorar sua experiência no site de notícias de mercado e de investimentos).

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App