Pague Menos (PGMN3) registrou lucro 41,4% maior no terceiro trimestre de 2023

Pague Menos (PGMN3)

A Pague Menos (PGMN3) registrou lucro antes de impostos, taxas, depreciações e amortizações (EBITDA) ajustado consolidado de R$ 143,8 milhões no 3º trimestre de 2023, 41,4% acima do 3º trimestre do ano anterior e receita bruta consolidada de R$ 3,81 bilhões, 16,2% superior ao mesmo período.

Mais uma vez, o crescimento das vendas está entre os destaques do período, chegando a 16,2% no consolidado e 11,5% em Pague Menos standalone. “Nossas vendas seguem acelerando desde o início de 2023”, destaca Mário Queirós, CEO da Pague Menos e Extrafarma. “Esse bom desempenho está relacionado, principalmente, ao crescimento na base de clientes, aumento na participação dos nossos canais digitais, melhoria nos indicadores de ruptura de estoque e maturação das novas safras de lojas”, reforça.

Assim como em outros trimestres, a plataforma omnichannel segue contribuindo significativamente para o aumento de produtividade das lojas. “Notamos uma forte correlação entre o crescimento registrado nas lojas e o aumento na participação dos canais digitais”, explica Queirós. “Isso se deve principalmente à maior digitalização dos nossos clientes, que contribui para melhorar o gasto médio e a fidelização desse público”, complementa.

No período, a proporção de clientes omnichannel atingiu 8% da base total, concentrando aproximadamente 30% das vendas no trimestre. Já o e-commerce registrou expansão de 46% em relação ao 3T22, com 55% de participação nas vendas multicanais.

Pelo terceiro trimestre seguido, a companhia registrou aumento de market share orgânico acima do mercado, mesmo sem abertura de novas lojas. Além da liderança consolidada nas regiões Norte e Nordeste, a rede atingiu 4,5% de participação de mercado no Centro-Oeste, com crescimento 2x superior ao do mercado nessa região.

Ao longo do trimestre, a companhia concentrou esforços na redução de seu endividamento e chegou a 2,4x o EBITDA, queda de 0,7x em relação ao período anterior. Os principais fatores que contribuíram com esse cenário foram o aumento na geração de caixa operacional, expansão do EBITDA e aumento de capital, concluído em setembro de 2023, resultando em aporte de R$ 332 milhões.

“Trata-se de uma redução significativa, mas sabemos que é apenas o início”, destaca o executivo. “Seguimos focados em diferentes ações de controle de gastos e investimentos, além da normalização do ciclo de caixa”, complementa.

Com a captura de sinergias de estrutura organizacional e eficiência logística próximas do potencial mapeado, a Companhia afirma ter concluído a fase mais crítica do processo de integração com Extrafarma, iniciado em agosto de 2022.

O volume de sinergias no trimestre chegou a R$ 28,3 milhões em EBITDA incremental no período, totalizando R$ 113 milhões em bases anuais. Já a margem EBITDA ajustada do portfólio Extrafarma alcançou 1,8% no trimestre, evolução considerável se comparada aos -2,5% registrados no mesmo período de 2022.

O processo de integração mostra que a compra da Extrafarma foi um movimento estratégico de grande geração de valor para a Companhia. Além de consolidar a liderança nas regiões Norte e Nordeste, possibilitou a ampliação da capilaridade e footprint na região, com crescimento consistente nas vendas omnichannel, adesão ao Clinic Farma e participação de marcas próprias. “É um diferencial difícil de ser replicado”, opina Queirós.

Novamente, a rede encerra o período com volume recorde de procura ao Clinic Farma, registrando 1,3 milhão de atendimentos. Já a adesão da base de clientes aos serviços de saúde foi de 11,4%, 3,6p.p. a mais na comparação com o trimestre anterior. O crescimento da plataforma está ligado principalmente à oferta de serviços básicos de saúde como forma de benefício aos clientes ‘ouro’ da rede.

A estratégia tem contribuído positivamente para melhoria dos indicadores de CRM no grupo de clientes de alto valor, com aumento de frequência, ticket médio e retenção. Além do recorde na taxa de adesão, o índice de conversão do Clinic Farma, ou seja, a proporção de clientes que consumiram produtos na loja no mesmo dia do atendimento, também atingiu patamar recorde, chegando a 78%.

Com a conclusão do plano de expansão previsto para o ano já no primeiro semestre, o foco da Companhia tem sido direcionado para a conversão de bandeiras. Além das 11 lojas já convertidas, outras 43 estão programadas para troca de bandeira no 4T23. “Ao longo dos próximos meses, seguiremos focados na normalização do ciclo de caixa, redução de alavancagem e integração da Extrafarma”, explica Queirós.

A Pague Menos e Extrafarma estão presentes nos 26 estados da Federação e no Distrito Federal. Contam com aproximadamente 1.600 lojas, distribuídas em 389 municípios, com cerca de 25 mil colaboradores, além de uma plataforma omnichannel, que possibilita ao cliente comprar como quiser e receber seus produtos como preferir. Líderes nas regiões Norte e Nordeste, a Pague Menos e Extrafarma são hoje o Hub de Saúde da classe média expandida, com mais de mil unidades do Clinic Farma em todas as regiões do país.

Fonte: Pague Menos

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Facebook
Twitter
LinkedIn
Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App