Planeta Terra (TERR4) ganha listagem simbólica na Bolsa (B3) em campanha da ONU

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

Planeta Terra (TERR4) terá IPO na Bolsa

O Planeta Terra (TERR4) ganha listagem simbólica na B3 em 26 de abril de 2023.

O Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU), em parceria com a B3 e a agência AlmapBBDO, vão transformar simbolicamente o Planeta Terra na TERR4: uma empresa de capital aberto, com 8 bilhões de consumidores, porém com os piores resultados, tendo em vista a decadência global, especialmente no quesito meio ambiente, junto a ameaça às diversas metas dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

CLIQUE AQUI ou abaixo para baixar o aplicativo Grana:

 

Planeta Terra (TERR4) ganha listagem simbólica na Bolsa. Imagem: Divulgação

A ação tem como objetivo reforçar a importância do investimento no futuro do planeta, criando um senso de urgência, através da linguagem empresarial, para encorajar novos participantes para o Pacto Global e mais empresas assumindo políticas alinhadas aos princípios de Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção. 

A partir da simbologia de um IPO, a “companhia” será apresentada na B3, na manhã de 26 de abril, às 8h30 da manhã, em uma cerimônia de toque de sino (ring the bell), com transmissão ao vivo: Link do filme: (16) Muito prazer, nós somos a TERR4 – YouTube

Indicadores das ONGs Global Footprint Networke WWF apontaram que seria necessário 1,7 planeta para sustentar o consumo de toda a população global em 2022. O último Dia da Sobrecarga da Terra – data em que a utilização de recursos naturais pela humanidade ultrapassou a capacidade do planeta de regeneração – ocorreu em 28 de julho, pouco mais do que a metade do ano. Na tendência ano a ano, a expectativa é que o esgotamento aconteça ainda mais cedo em 2023. Para jogar luz nesse e outros números alarmantes ligados ao nosso planeta, a iniciativa do Pacto Global da ONU no Brasil transforma o planeta na “empresa de capital aberto” TERR4, com o objetivo de estimular a adesão de outras companhias aos compromissos lançados no ano de 2000 pelas Nações Unidas.

A TERR4, uma empresa de bilhões de anos, única no seu segmento, com 8 bilhões de consumidores, atualmente apresenta os piores resultados da sua história. Neste contexto, a desigualdade social é traduzida para má distribuição dos dividendos e o desmatamento, a poluição de rios e a perda de biodiversidade se traduzem na má gestão dos seus ativos e patrimônio. A boa notícia é que ela é uma empresa que ainda tem um enorme potencial de reverter essa situação. É por isso que todos os interessados em fazer com que essa empresa sobreviva devem investir nela. No caso das empresas, uma das formas de fazer isso é também se engajando com o Pacto Global da ONU.

Assim, a partir da simbologia de um IPO (Oferta Pública Inicial, do inglês Initial Public Offer), a “companhia” será apresentada na B3, a bolsa de valores do Brasil, como parte da campanha para estimular novas adesões ao Pacto Global. A abertura simbólica ao mercado acontece na manhã de 26 de abril, às 8h30 da manhã, na sede da B3, em uma cerimônia de toque do sino (ring the bell) com transmissão ao vivo. Na ocasião, estarão presentes Carlo Pereira, CEO do Pacto Global da ONU no Brasil e Ana Buchaim, vice-presidente de Pessoas, Marketing, Comunicação, Sustentabilidade e Investimento Social Privado da B3.

Além deles, membros do Conselho Jovem do Pacto Global da ONU, Raul Santiago e Beta Boechat apresentarão os resultados da TERR4 e farão um chamado à ação. Já para o toque da campainha, representantes da diversidade dos habitantes do planeta Terra estão confirmados: Andrea Schwarz, Edson Leite, Eric Terena, Luca Scarpelli, Luciana Viegas, Mateus Baptistella, Raquel Virginia, Veronica Oliveira e Priscila Jung.

“Precisamos investir na Terra e precisamos investir agora. É o investimento mais importante que temos a fazer, já que ela é a nossa maior empresa. O setor privado tem entendido que estar dentro dessa agenda é fundamental, mas 2030 está cada vez mais perto e chegar aos ODS é uma prioridade para todas e todos nós nesse momento. Ou deveria ser uma prioridade. Somente com a união de todos esses stakeholders faremos a diferença de fato. Por isso, esse lançamento do IPO da Terra tem um simbolismo muito importante para o Pacto Global da ONU e seus parceiros nessa jornada. Sem deixar ninguém para trás”, afirma Carlo Pereira, CEO do Pacto Global da ONU no Brasil.

“A B3 foi a primeira bolsa de valores do mundo a aderir ao Pacto Global, em 2005, e um dos pilares da nossa estratégia de sustentabilidade é induzir boas práticas ESG no mercado. Como parte do nosso papel de indução, buscamos sensibilizar e engajar as empresas sobre a importância de adotarem essa agenda em seus negócios, porque um mundo mais sustentável só poderá ser construído com a participação de todas as esferas da sociedade. Ao abrigar a ‘abertura de capital’ da TERR4, a bolsa do Brasil reitera seu compromisso com os princípios do Pacto Global e reforça o chamamento para que cada vez mais empresas participem dessa iniciativa e invistam no futuro do nosso planeta”, diz Ana Buchaim, vice-presidente de Pessoas, Marketing, Comunicação, Sustentabilidade e Investimento Social Privado da B3.

A empresa TERR4

A TERR4 tem tudo que uma empresa tem. Desde site institucional até um relatório de resultados anuais. No site, as pessoas podem acompanhar o valor simbólico das ações da empresa, em tempo real. O mecanismo de flutuação funciona por meio do monitoramento de diversos portais de notícias do Brasil e do mundo. A cada notícia sobre mudanças climáticas, desigualdade e outras pautas socioambientais, o valor da ação oscila. Quando negativas, o valor cai. No caso oposto, o valor sobe. É um instrumento didático para mostrar o quanto as nossas ações interferem no planeta.

Já o relatório, batizado de “Relatório Urgente”, traduz todos os últimos resultados científicos e estatísticos do planeta em uma linguagem empresarial. De uma forma para que todo CEO, ao ler o material disponível em versão física e digital, tenha absoluta certeza da urgência em agir. Tanto o site quanto o relatório foram elaborados com auxílio de um grupo multidisciplinar de especialistas socioambientais que envolveu pesquisadores, jornalistas e desenvolvedores.

Como toda organização de capital aberto, a TERR4 também busca acionistas e investidores. Nesse caso, investir na TERR4 significa se engajar no Pacto Global, que já conta com 1900 empresas participantes no Brasil e 18 mil no mundo. O cadastro de interesse pode ser feito via site da TERR4 ou do próprio Pacto Global.

A partir desse chamamento, o principal objetivo é estimular que mais empresas façam parte do Pacto Global, iniciativa da ONU para engajar a adoção de políticas de responsabilidade social corporativa e sustentabilidade, por meio de Dez Princípios nas áreas de Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção. A motivação é reflexo da decadência global, especialmente no quesito meio ambiente, que cresceu 6,6% durante a pandemia, junto a ameaça de diversas metas dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Segundo a última edição do Relatório Luz, documento elaborado pelo Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030, cinco das 13 metas do ODS 15, relacionadas à promoção do uso sustentável dos ecossistemas terrestres e ao impedimento da perda da biodiversidade, regrediram. Já no ODS 13, relacionado a medidas de combate à mudança climática e seus impactos, todas as metas estão em retrocesso.

Lançamento da TERR4 na Bolsa

Criada pela AlmapBBDO, a estratégia conta, além do lançamento da empresa, com filme, anúncios, mídia exterior e ativação via influenciadores digitais, fazendo uma releitura sincera de uma empresa com grande risco de falência, mas com potencial de reverter o quadro, gerando impactos positivos em um período de médio a longo prazo.

Para Marco Giannelli (Pernil), Chief Creative Office da AlmapBBDO, é importante ressaltar que diferente de uma organização empresarial fechando as portas, a TERR4 significa a casa e todos os recursos naturais necessários para a existência dessa e de outras gerações.

“A ideia de fazer um IPO da Terra joga luz na urgência de se fazer algo pelo planeta. Queremos lembrar aos ‘investidores’ que, se esse fluxo de caixa não melhorar, perderemos a fonte da humanidade. E somente com outras empresas comprometidas com o Pacto Global é que conseguiremos melhorar, dia após dia, os índices do lugar onde todos nós vivemos”, finaliza.

(*) Fontes de conteúdo: B3 e AlmapBBDO.

Blog do Grana é a página de conteúdo informativo do aplicativo Grana Capital, parceiro da B3 para ajudar os investidores com o Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF).

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App