Safra de balanços do 2º trimestre de 2022 ajusta preços de ações na Bolsa

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

Safra de balanços do segundo trimestre de 2022

Safra de balanços do segundo trimestre de 2022 ajusta o preços das ações na Bolsa (B3) em 11 de agosto de 2022, dia de manifestos pela democracia no Brasil.

O principal ETF de Ibovespa (BOVA11) recuou 0,64%, a R$ 105,88 por cota. O Ibovespa caiu 0,47%, aos 109.717,94 pontos.

Imagem ilustrativa criada por Gerd Altmann/Pixabay.

Minerva (BEEF3) e Marfrig (MRFG3)

BEEF3 disparou 7,33%, a R$ 13,77 por ação, segunda maior alta do Ibovespa.

MRFG3 saltou 5,41%, a R$ 13,65 por ação, terceira maior alta do Ibovespa.

Minerva registrou lucro líquido de R$ 424,7 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 264% na comparação anual. O lucro antes de impostos, taxas, depreciações e amortizações (Ebitda) somou R$ 778 milhões, crescimento de 42,8% em relação ao mesmo período de 2021.

Minerva Foods anunciou o pagamento de dividendos no montante de R$ 128 milhões, o equivalente a R$ 0,22 por ação.

A companhia é líder em exportação de carne bovina na América do Sul e atua também no segmento de processados, comercializando seus produtos para mais de 100 países. Além do Brasil, a Minerva Foods está presente no Paraguai, na Argentina, no Uruguai, na Colômbia e na Austrália.

A empresa atende a cinco continentes com carne bovina, ovina e seus derivados e opera, hoje, 27 unidades industriais, 11 escritórios internacionais, 14 centros de distribuição e três unidades de processamento.

Marfrig atende protocolo do Instituto Norte-Americano de Carne (NAMI). Foto: Marfrig

BRF (BRFS3)

BRFS3 desabou 12,65%, a R$ 14,99 por ação ON, maior baixa do Ibovespa.

BRF reportou prejuízo de R$ 451 milhões no segundo trimestre de 2022.

A receita de R$ 12,9 bilhões no trimestre, aumento de 11,2% na comparação anual.

“Com disciplina financeira, tomamos as medidas mais adequadas para o momento e fizemos a correção de rota, o que já nos permite maior agilidade no processo de decisão e repercute em capturas de oportunidades em eficiência em diversas áreas”, ressaltou o CEO global da BRF, Lorival Luz.

“O ajuste na cadeia de produção e o reequilíbrio de estoques contribuíram para a recuperação gradual das margens operacionais, possibilitando e potencializando uma melhor execução comercial com ganhos de produtividade”, complementa o executivo.

Banco do Brasil (BBAS3)

BBAS3 saltou 4,43%, a R$ 41,74 por ação, quarta maior alta do Ibovespa.

Banco do Brasil supera instituições privadas e registra lucro de R$ 7,625 bilhões no segundo trimestre de 2022.

O banco revisou as expectativas para 2022. A estimativa de lucro foi de R$ 23 bilhões a R$ 26 bilhões para R$ 27 bilhões a R$ 30 bilhões.

Edifício sede do Banco do Brasil, em Brasília. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Braskem (BRKM5)

BRKM5 caiu 3,66%, a R$ 35,50 por ação.

Braskem registra prejuízo de R$ 1,4 bilhão no segundo trimestre de 2022, ante lucro obtido em igual período do ano passado.

3R Petroleum (RRRP3)

RRRP3 subiu 0,76%, a R$ 34,66 por ação.

3R Petroleum lucrou R$ 32 milhões no segundo trimestre de 2022, baixa de 41% em relação ao mesmo trimestre de 2021.

A receita da petrolífera privada alcançou R$ 399,6 milhões, alta de 161,5% na comparação anual.

MRV Engenharia (MRVE3)

MRVE3 desabou 11%, a R$ 10,11 por ação ON.

MRV Engenharia obteve lucro de R$ 215 milhões no segundo trimestre de 2022, aumento de 6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A receita da construtora atingiu R$ 1,6 bilhão, queda de 12% na comparação anual.

Pão de Açúcar (PCAR3)

PCAR3 subiu 2,36%, a R$ 17,78 por ação.

Em Fato Relevante, o Pão de Açúcar (GPA) confirmou que estuda separação do grupo colombiano Éxito.

CSN (CSNA3)

CSNA3 subiu 2,92%, a R$ 16,19 por ação.

Credores da Samarco recebem proposta da CSN em Nova York (EUA), segundo apuração da Agência Estado/Broadcast.

Petrobras (PETR3/PETR4)

PETR4 caiu 2,32%, a R$ 36,25 por ação PN.

PETR3 recuou 1,89%, a R$ 38,96 por ação ON.

A Petrobras reduz o preço do diesel em R$ 0,22 por litro aos distribuidores, a partir de amanhã, 12 de agosto de 2022.

A estatal também comunicou ter recebido ofício da CVM informando sobre pedido de suspensão da convocação da Assembleia agendada para 19 de agosto. A solicitação é motivada pela insistência do governo de levar à Assembleia os nomes de Jônathas Castro e Ricardo Soriano, considerados inelegíveis.

Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) julgará venda da refinaria Reman, da Petrobras, para o grupo Atem na próxima quarta-feira, 17 de agosto.

Taesa (TAEE11)

TAEE11 caiu 2,32%, a R$ 42,15 por unit.

Taesa registrou lucro líquido de R$ 564 milhões no segundo trimestre de 2022, queda de 19,2% na comparação anual. O Ebitda somou R$ 464,9 milhões, aumento de 40,4% em relação ao mesmo período de 2021.

Equatorial (EQTL3)

EQTL3 recuou 5,03%, a R$ 24,19 por ação.

O lucro líquido ajustado da empresa caiu 55,8% no segundo trimestre de 2022 para R$ 197 milhões. O Ebitda ajustado aumentou 30,2%, para R$ 6,710 bilhões. A dívida líquida saltou 122,3%, a R$ 22,894 bilhões.

SulAmérica (SULA11)

SULA11 cai 2,84%, a R$ 25,65 por unit.

SulAmérica teve lucro líquido de R$ 138,9 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 373,3% sobre o mesmo período do ano passado. A Superintendência de Seguros Privados (Susep) concedeu aprovação prévia para transferência do controle de sociedades da SulAmérica para Rede D’Or.

“O segundo trimestre de 2022 ainda foi marcado por grandes desafios”, descreve o CEO Ricardo Bottas.

“Mas temos observado importante redução nos impactos com a Covid-19, tanto no segmento de seguro Saúde quanto no de Vida, o que traz perspectivas mais positivas para gradativamente recuperarmos a sazonalidade regular da frequência e severidade de sinistros em nossas carteiras, combinado a recomposição dos preços do segmento de saúde, garantindo assim o reequilíbrio econômico das apólices e a retomada dos nossos patamares de rentabilidade”, completou.

Mater Dei (MATD3)

MATD3 cai 1,33%, a R$ 9,67 por ação.

Mater Dei registrou lucro líquido de R$ 34,8 milhões no segundo trimestre de 2021, queda de 34,7% na comparação anual. O Ebitda somou R$ 107,3 milhões, alta de 15,5% em relação ao mesmo período de 2021.

Para o presidente da Rede Mater Dei de Saúde, Henrique Salvador, os resultados do segundo trimestre estão em consonância com o que foi proposto. “Estamos agindo de acordo com o que propusemos para entregar ao mercado resultados superiores. A compra dos hospitais que fizemos desde o IPO mostram que estamos no caminho certo para crescer nas regiões norte, nordeste e centro-oeste. Tudo de acordo com os valores da Rede Mater Dei e sem deixar de atender ninguém ou fechar momentaneamente algum serviço.” 

O executivo ainda destaca a capacidade de gestão e a sinergia entre as operações. “As integrações com estes ativos já adquiridos têm sido realizadas de maneira estruturada e assertiva, aumentando a geração de valor para a Rede Mater Dei. Da abertura de leitos à contratação de pessoas, do planejamento de insumos e suprimentos às melhorias operacionais e implementação de protocolos. Estamos dando a resposta que a comunidade esperava de nós, como referência nacional em saúde.”, finaliza.

Aliansce Sonae (ALSO3)

ALSO3 caiu 2,17%, a R$ 18,47 por ação ON.

Aliansce Sonae registrou lucro líquido de R$ 23,564 milhões no segundo trimestre de 2021, recuo de 60,2% na comparação anual. O Ebitda ajustado somou R$ 176,278 milhões, crescimento de 19,6% em relação ao mesmo período de 2021.

Grupo Soma (SOMA3)

SOMA3 subiu 2,96%, a R$ 12,17 por ação.

Grupo Soma registrou lucro líquido ajustado de R$ 130,8 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 114% na comparação anual. O Ebitda ajustado somou R$ 210,5 milhões, crescimento de 90,6% em relação ao mesmo período de 2021.

C&A (CEAB3)

CEAB3 disparou 8,52%, a R$ 3,31 por ação ON.

C&A teve lucro líquido de R$ 2,1 milhões no segundo trimestre de 2022, queda de 97% sobre o mesmo período de 2021. O Ebitda ajustado somou R$ 245,8 milhões, alta de 145,2% sobre o segundo trimestre de 2021.

Petz (PETZ3)

PETZ3 desabou 9,03%, a R$ 10,28 por ação, entre as maiores baixas do Ibovespa.

Petz teve lucro líquido ajustado de R$ 32,7 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 35,7% sobre um ano antes. O Ebitda ajustado subiu 9,9%, para R$ 66 milhões.

Lavvi (LAVV3)

LAVV3 desabou 7,43%, a R$ 5,36 por ação.

Lavvi registrou lucro líquido atribuível aos controladores de R$ 33,7 milhões no segundo trimestre de 2022, queda de 63% na comparação anual. O Ebitda ajustado somou R$ 25,2 milhões, recuo de 73% em relação ao mesmo período de 2021.

Viver (VIVR3)

VIVR3 caiu 3,08%, a R$ 0,63 por ação.

Viver registrou lucro líquido de R$ 17,9 milhões no segundo trimestre de 2022, ante prejuízo de R$ 8,4 milhões no mesmo período de 2021. A empresa teve Ebitda negativo de R$ 9,1 milhões, ante dado positivo de R$ 4 milhões um ano antes.

RNI (RDNI3)

RDNI3 fechou em R$ 7,20 por ação.

RNI registrou lucro líquido atribuído ao controlador de R$ 6 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 336% na comparação anual. O Ebitda ajustado somou R$ 16,15 milhões, crescimento de 66% em relação ao mesmo período de 2021.

Rossi Residencial (RSID3)

RSID3 desabou 7,42%, a R$ 3,12 por ação.

A Rossi Residencial saiu de lucro de R$ 106,2 milhões no segundo trimestre de 2021 para prejuízo líquido de R$ 59,6 milhões no mesmo período deste ano.

SLC Agrícola (SLCE3)

SLCE3 subiu 0,07%, a R$ 44,05 por ação ON.

SLC Agrícola registrou lucro líquido de R$ 485,585 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 8,6% sobre igual período de 2021.

Banrisul (BRSR6)

BRSR6 caiu 1,01%, a R$ 10,73 por ação.

Banrisul teve lucro líquido ajustado de R$ 228 milhões no segundo trimestre de 2022, queda de 19,2% sobre o mesmo trimestre de 2021. O retorno sobre o patrimônio líquido (ROAE) recuou de 13,1% no segundo trimestre deste ano para 10,1% no mesmo de 2021.

O crédito comercial pessoa física atingiu R$ 24,7 bilhões em junho de 2022, aumento de 12,9% nos últimos 12 meses. A evolução foi influenciada, especialmente, pelo crescimento das operações de crédito consignado, que alcançaram o montante de R$ 19,7 bilhões em junho de 2022.

As operações de crédito comercial pessoa jurídica, em junho de 2022, apresentaram crescimento de 26,9% em comparação com junho de 2021, atingindo saldo de R$ 7,9 bilhões. O resultado reflete, especialmente, o aumento das linhas de capital de giro, com destaque para o incremento nas linhas em Fundo Garantidor para Investimento (FGI).

Santos Brasil (STBP3)

STBP3 caiu 1,21%, a R$ 7,36 por ação.

Santos Brasil registrou lucro líquido de R$ 102,4 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 69,3% sobre igual intervalo de 2021.

De acordo com Daniel Pedreira Dorea, Diretor Econômico-Financeiro e de Relações com Investidores, a companhia vem seguindo uma trajetória de crescimento sustentável fruto de estratégias bem-sucedidas. “O forte resultado financeiro alcançado deriva, sobretudo, da recomposição de preços não apenas nos serviços de cais, mas também naqueles ofertados aos donos das cargas, como armazenagem e demais serviços de logística integrada, prestados principalmente pela Santos Brasil Logística”, diz. 

Quanto aos volumes, Dorea aponta que o crescimento de 0,6% no trimestre, apesar de aparentemente tímido, deve ser exaltado, uma vez que se esperava que o efeito do lockdown na China tivesse impacto muito mais severo, o que não se confirmou no caso do Brasil. “Já vemos uma aceleração nos volumes e, para o segundo semestre, estamos confiantes em um ritmo forte de movimentação de contêineres e, também, veículos”, afirma.

Wilson Sons (PORT3)

PORT3 caiu 3,99%, a R$ 8,67 por ação ON.

Wilson Sons teve lucro líquido de R$ 16,3 milhões no segundo trimestre de 2022, queda de 86,5% sobre o mesmo período de 2021.

“Continuaremos nos esforçando para melhorar o desempenho de classe mundial da nossa infraestrutura, o nosso portfólio de atividades e a resiliência e versatilidade dos nossos serviços, que acreditamos ser a melhor maneira possível de enfrentar os desafios do nosso setor, transformando o transporte marítimo ao longo do tempo e criando um futuro melhor”, afirma Fernando Salek, CEO da Wilson Sons.

Rebocar WS Centaurus. Foto: Wilson Sons/Divulgação.

Positivo (POSI3)

Positivo (POSI3) disparou 10,26%, a R$ 9,35 por ação, maior alta do Ibovespa.

Positivo registrou lucro líquido de R$ 90,5 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 75,6% na comparação anual. O Ebitda somou R$ 185,3 milhões, crescimento de 68% em relação ao mesmo período de 2021.

Allied (ALLD3)

ALLD3 desabou 11,20%, a R$ 10,70 por ação.

Allied registrou lucro líquido contábil de R$ 24,1 milhões no segundo trimestre de 2022, queda de 84,2% na comparação anual. O Ebitda ajustado somou R$ 69,8 milhões, recuo de 42,8% em relação ao mesmo período de 2021.

“O cenário de inflação e juros altos é desafiador para as empresas brasileiras, mas temos gerenciado a Companhia com diligência no uso dos recursos, porém sem perder de vista o alinhamento e direcionamento estratégico que temos compartilhado com o mercado desde a abertura de capital. Um passo importante nesse direcionamento foi o lançamento da Trocafy em junho de 2022. Esta será a nossa plataforma de comercialização de eletrônicos recondicionados, que já começa com grande volume de smartphones usados recebidos dos clientes do Programa iPhone Pra Sempre. Além de se alavancar em um mercado com alta expectativa de crescimento, a base da Trocafy é o consumo circular de eletrônicos, um tema relevante para o desenvolvimento sustentável”, disse o CEO da Allied, Silvio Stagni.

Mahle-Metal Leve (LEVE3)

LEVE3 caiu 2,80%, a R$ 24,98 por ação.

Mahle-Metal Leve registrou lucro líquido de R$ 114,9 milhões no segundo trimestre de 2022, queda de 32,4% na comparação anual.

Moura Dubeux (MDNE3)

MDNE3 subiu 1,54%, a R$ 6,60 por ação.

Moura Dubeux registrou lucro líquido de R$ 30,953 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 17,8% na comparação anual.

Fras-Le (FRAS3)

FRAS3 caiu 0,45%, a R$ 13,34 por ação.

Fras-Le registrou lucro líquido de R$ 66,8 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 53,3% na comparação anual. O Ebitda somou R$ 125 milhões, crescimento de 23,6% em relação ao mesmo período de 2021.

Iochpe-Maxion (MYPK3)

MYPK3 caiu 7,26%, a R$ 17,25 por ação ON.

Iochpe-Maxion registrou lucro líquido de R$ 190,5 milhões no segundo trimestre de 2022, queda de 11,3% na comparação anual. O Ebtida somou R$ 534,6 milhões, recuo de 10% em relação ao mesmo período do ano passado.

Eletromídia (ELMD3)

ELMD3 recuou 0,80%, a R$ 12,36 por ação.

Eletromídia saiu de prejuízo ajustado de R$ 5,982 milhões no segundo trimestre de 2021 para lucro líquido ajustado de R$ 7,333 milhões no segundo trimestre de de 2022. O Ebitda ajustado aumentou 393,1% em um ano, para R$ 44,236 milhões nesse período.

Boa Vista Serviços (BOAS3)

BOAS3 saltou 6,44%, a R$ 6,94 por ação.

Boa Vista Serviços teve lucro líquido de R$ 80,9 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 264,5% sobre igual período de 2021.

Traders Club (TRAD3)

TRAD3 caiu 2,87%, a R$ 4,40 por ação.

Traders Club teve prejuízo líquido de R$ 3,085 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 40% sobre o mesmo período do ano passado. O lucro líquido ajustado somou R$ 1,871 milhão, alta de 75,2% na comparação anual.

Dimed Panvel (PNVL3)

PNVL3 subiu 2,19%, a R$ 12,59 por ação.

Dimed registrou lucro líquido de R$ 23,4 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 15% na comparação anual. O Ebitda ajustado somou R$ 56 milhões, crescimento de 41% em relação ao mesmo período de 2021.

Kora Saúde (KRSA3)

KRSA3 recuou 5,83%, a R$ 3,07 por ação.

Kora Saúde saiu de lucro de R$ 18,3 milhões no segundo trimestre de 2021 para prejuízo líquido de R$ 2,8 milhões no segundo trimestre de 2022.

(*) Fontes de conteúdo e relatórios consultados: CVM, B3, Banco ABC Brasil, BTG Pactual, Guide Investimentos, Petrobras, Terra Investimentos, Toro Investimentos e XP.

Edição: Ernani Fagundes, jornalista responsável pelo conteúdo do Blog do Grana.

Conteúdo nas redes sociais: Letícia Alonso (vídeo), Vitória Mendonça e Gabriela Orsi.

O Blog do Grana é a página de conteúdo informativo do aplicativo Grana Capital, parceiro da B3 para ajudar os investidores com o Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF).

E-mail: ernani.fagundes@grana.capital (mande sua opinião sobre o Blog do Grana e sugestões para melhorar sua experiência no site de notícias de mercado e de investimentos).

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App