Renova Energia (RNEW4) reduz R$ 1 bilhão em dívidas

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

Renova Energia (RNEW4) reduz R$ 1 bilhão em dívidas

A Renova Energia (RNEW4) reduz R$ 1 bilhão em dívidas em duas operações, uma com recursos de venda de ativos e outra com o aporte de capital da Angra Partners.

Campo de energia renovável. Foto: Pixabay.

Venda do Complexo Hidrelétrico da Serra da Prata

Uma parte dos recursos virá da venda de 100% das ações que o grupo detinha no Complexo Hidrelétrico Serra da Prata (Espra) para a Vinci Partners, em uma operação de R$ 265,8 milhões.

O ativo reúne três hidrelétricas de pequeno porte (PCHs) localizadas na Bahia com capacidade de geração de 41,8 MWs.

Pagamento ao BTG Pactual

“Os recursos serão destinados à quitação de uma dívida de R$ 228,1 milhões junto ao banco BTG Pactual, ao cumprimento de obrigações com credores em conformidade com o Plano de Recuperação Judicial e reforço do capital de giro da empresa”, explica Daniel Gallo, presidente da Renova.

Aporte de capital da Angra Partners

A Angra Partners, nova acionista controladora da Renova, confirmou a conversão de seus créditos de aproximadamente R$ 770 milhões em ações, no próximo aumento de capital, ampliando de 14% para 60% a sua participação acionária na empresa.

Encerramento da recuperação judicial 

“Com estas duas operações (venda da Espra e aumento de capital), o Grupo Renova reduz o seu endividamento em mais de R$ 1 bilhão. Associado a isso, temos a expectativa de somar 94,5MW de geração até o final de julho aos atuais 196,8MW que já se encontram em operação no Complexo Eólico Alto Sertão III, o que consolida o compromisso da Renova de finalizar o processo de recuperação judicial, e voltar a crescer com foco em geração eólica e solar”, disse Gallo, CEO da Renova.

Aumento da produção de energia eólica

De acordo com o comunicado, a Renova se prepara para colocar em operação uma subestação de 500KW, a última das quatro subestações de energia previstas no projeto Alto Sertão III. E para implementar a operação comercial de mais 94,5MW até o final de julho, incrementando para 291,3 MW a energia do complexo – aproximadamente 70% do total do empreendimento.

O projeto Alto Sertão III, que é um dos 10 maiores parques de energia eólica da América Latina, terá 155 aerogeradores e capacidade total de 432,7 MW de geração, o suficiente para abastecer entre 900 mil e 1 milhão de residências, de acordo com o padrão Aneel.

Atuação da Renova Energia (RNEW4)

A Renova Energia foi fundada em 2006 para atuar na área de geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis e é focada em gerar energia eólica e projetos solares.

É uma das pioneiras do setor em continuidade às atividades de comercialização e de desenvolvimento de projetos iniciadas em 2001 por meio da Enerbrás.

Desde a sua criação, já investiu mais de R$ 7,5 bilhões em projetos eólicos e pequenas centrais hidrelétricas.

No total, o Complexo Eólico Alto Serrão III recebeu investimentos superiores a R$ 2,5 bilhões e conta com 4 subestações, 208 km de linhas de transmissão, distribuídas em 26 projetos e em 6 municípios da Bahia (Caetité, Igaporã, Pindaí, Licínio de Almeida, Riacho de Santana e Guanambi).

Fontes de conteúdo e relatórios consultados: B3, CVM e Renova Energia.

Edição: Ernani Fagundes, jornalista responsável pelo conteúdo do Blog do Grana.

E-mail: ernani.fagundes@grana.capital (mande sua opinião sobre o Blog do Grana e sugestões para melhorar sua experiência no site de notícias de mercado e de investimentos).

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App