Americanas (AMER3) teve prejuízo de R$ 137,3 milhões no 1º trimestre de 2022

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

A Americanas (AMER3) teve prejuízo de R$ 137,3 milhões no 1º trimestre de 2022, ante resultado líquido negativo de R$ 224 milhões reportado no 1º trimestre de 2021.

Foto: Americanas/Divulgação

Lucro bruto de Americanas (AMER3)

No 1º trimestre de 2022, o lucro bruto atingiu R$ 2,1 bilhões, avançando 30,0% versus o mesmo período do ano anterior. A margem bruta atingiu 30,5% da receita líquida.

Receita bruta total

No 1º trimestre de 2022, a receita bruta total da Americanas foi de R$ 14,2 bilhões, um crescimento de 21,7% versus o mesmo trimestre de 2021.

Receita com parceiros

A receita com parceiros alcançou R$ 6,2 bilhões no 1º trimestre de 2022, um crescimento de 16,9% versus os primeiros três meses de 2021.

Receita em lojas físicas

A receita em lojas físicas atingiu R$ 3,2 bilhões no 1º trimestre de 2022, um crescimento de 27,7% versus o 1º trimestre do ano passado.

Receita no digital

A receita da Americanas no digital totalizou R$ 4,8 bilhões no 1º trimestre de 2022, um crescimento de 24,3% na comparação com igual período do ano passado.

Resultado financeiro negativo

No 1º trimestre de 2022, o resultado financeiro líquido da Americanas ficou no negativo em R$ 462,8 milhões, um aumento de 82,3% em relação ao 1º trimestre de 2021. Segundo o balanço da Americanas, o resultado negativo reflete basicamente os efeitos da elevação da taxa básica de juros (Selic) no período.

Fintech AME

A AME, fintech da Americanas atingiu a marca de 32 milhões de downloads no 1º trimestre de 2022, com um TPV (volume total de pagamentos) de R$ 7,8 bilhões, crescimento de 53% em relação ao mesmo período do ano anterior. Segundo a Americanas, a operação se mostra cada vez mais relevante e estratégica, gerando o aumento da frequência e do gasto médio, além de potencializar a aquisição de novos clientes.

De acordo com a companhia, os resultados de AME estimulam ainda mais a fintech, a área motor de inovação da Americanas e responsável por liderar 10 fusões e aquisições entre 2020 e 2021, a seguir com o objetivo de incentivar o uso de novas tecnologias e buscar oportunidade para entrada em novos negócios.

Com isso, a Americanas anunciou, em abril de 2022, a estruturação da vertical de corporate venture capital com a intenção de investir em até 20 startups neste ano em setores que tenham conexão com as estratégias de negócio da companhia, como tecnologia, cyber, fintech, logística e advertising.

Comentário do CEO de Americanas sobre o balanço

“A combinação dos negócios e o foco na recorrência nos permitem divulgar, hoje, mais um trimestre com resultados relevantes. O momento desafiador do cenário econômico exige que sejamos ainda mais eficientes na busca contínua do equilíbrio das principais variáveis operacionais e financeiras do nosso negócio. Somos conscientes do nosso papel social e da nossa relevância na relação com colaboradores, clientes, fornecedores, sellers, merchants, franqueados, entre outros parceiros estratégicos. Mantivemos a rotina de proximidade e com ouvidos atentos para encontrar as melhores soluções para todos os participantes do ecossistema Americanas”, afirma o CEO da Americanas, Miguel Gutierrez.

Foto: Americanas/Divulgação

Fontes de conteúdo e documentos consultados: B3, CVM e Americanas.

Edição: Ernani Fagundes, jornalista responsável pelo conteúdo do Blog do Grana.

E-mail: ernani.fagundes@grana.capital (mande sua opinião sobre o Blog do Grana e sugestões para melhorar sua experiência no site de notícias de mercado e de investimentos).

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App