Carteira Dividendos Nubank maio de 2022

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

Carteira Dividendos Nubank maio de 2022

Aqui no Blog do Grana, você terá informações sobre a composição da carteira de ações de dividendos da Nu Invest, a corretora do NuBank, assinada pelo analista responsável Murilo Breder (CNPI).

Confira na sequência do texto:

Foto: Divulgação/NuBank

Carteira Dividendos Nubank maio de 2022

De acordo com as informações do analista Murilo Breder, o objetivo é que a carteira Dividendos obtenha um retorno médio de 6% em dividendos para os próximos 12 meses.

“Apesar de um dos focos estar no recebimento de dividendos, o portfólio busca ponderar a distribuição de proventos com ativos descontados”, relatou.

Na argumentação de Breder, as empresas que são boas pagadoras de proventos são naturalmente mais resilientes, pois a distribuição de dividendos pressupõe um fluxo de caixa positivo, estável e, de preferência, crescente.

“Essas características normalmente são encontradas em companhias mais maduras, cujas indústria e produtos já se provaram vencedores no mercado”, argumentou.

As ações da carteira dividendos da Nu Invest projetam dividend yield (lucro proporcional ao valor da ação) entre 2,8% e 22,7% para os próximos 12 meses.

Confira os porcentuais de cada uma das ações selecionadas:

Brasil Agro (AGRO3) – dividend yield de 7,6%

A análise estabelece que preço máximo para compra de Brasil Agro (AGRO3) é de R$ 37 por ação. A alocação sugerida é de 15% na carteira.

Coca-Cola (COCA34) – dividend yield de 2,8%

O preço máximo para compra de Coca-Cola (COCA34) é de R$ 55 por BDR. A alocação sugerida é de 15% da carteira.

Vale (VALE3) – dividend yield de 8,2%

O preço máximo para compra de Vale (VALE3) é de R$ 110 por ação. A alocação sugerida é de 15%.

Alupar (ALUP11) – dividend yield de 6%

O preço máximo para compra de Alupar (ALUP11) é de R$ 31 por unit. A alocação sugerida é de 10%.

“As units ALUP11 chegam ao portfólio com 10% de alocação recomendada que virão de nossa redução em Aura Minerals (AURA33) e Itaúsa (ITSA4) de 10% para 5%, respectivamente”, relata Breder.

No relatório anterior (de abril), Breder recomendou a venda das UNITs de Taesa (TAEE11). Na ocasião, o analista comentou que embora achasse a companhia “qualitativamente excelente, no segmento de menor risco dentro de um setor que já é resiliente, preço importa”, afirmou.

“Como continuamos gostando desse setor, fomos atrás de outros nomes e nos deparamos com Alupar (ALUP11). Empresa com características semelhantes como as de Taesa, que vem distribuindo dividendos crescentes ao longo dos últimos anos e com espaço para aumentar ainda mais daqui para frente. Por fim, quando comparamos os múltiplos das duas companhias, a Alupar apresenta atualmente um desconto bem acima da média para a Taesa, sugerindo o quanto a companhia pode estar descontada”, relatou o analista.

JBS (JBSS3) – dividend yield de 4,7%

O preço máximo para compra de JBS (JBSS3) é de R$ 45 por ação. A alocação sugerida é de 10%.

Petrobras (PETR4) – dividend yield de 22,7%

O preço máximo para compra de Petrobras PN (PETR4) é de R$ 37 por ação. A alocação sugerida é de 10%.

Ambev (ABEV3) – dividend yield de 4,4%

O preço máximo para compra de Ambev (ABEV3) é de R$ 20 por ação. A alocação sugerida é de 5% da carteira.

Aura Minerals (AURA33) – dividend yield de 4,7%

O preço máximo para compra de Aura Minerals (AURA33) é de R$ 18 por BDR. A alocação sugerida é de 5% da carteira.

“Sobre a mineradora de ouro e cobre, muito embora o ativo siga nos parecendo descontado e o racional para se manter um pouco de ouro na carteira se mantenha, vemos pouco gatilhos para as ações ao longo de 2022, não justificando, portanto, uma exposição mais relevante do que 5% neste momento”, relatou o analista.

B3 (B3SA3) – dividend yield de 6,6%

O preço máximo para compra de B3 (B3SA3) é de R$ 18 por ação. A alocação sugerida é de 5%.

Itaúsa (ITSA4) – dividend yield de 5,8%

O preço máximo para compra de Itaúsa (ITSA4) é de R$ 13 por ação. A alocação sugerida é de 5% da carteira.

“Já sobre Itaúsa, os bancos tradicionais sofreram um revés no mês de abril diante de preocupações do mercado acerca da inadimplência e também com a saída dos investidores internacionais. Embora a questão da inadimplência não me preocupe tanto quanto o mercado, se o fluxo estrangeiro estiver se invertendo, de fato, pode ser um risco para as grandes empresas da nossa Bolsa como o Itaú, principal investida da holding”, relatou Breder.

Kepler Weber (KEPL3) – dividend yield de 6,0%

O preço máximo para compra de Kepler Weber (KEPL3) é de R$ 66 por ação. A alocação sugerida é de 5% da carteira.

“Diante de mais um resultado trimestral, decidimos aumentar nosso ‘Até que preço comprar’ em KEPL3 de R$ 57 para R$ 66”, destacou.

“Na noite do último dia 27 de abril, a companhia soltou um resultado trimestral forte e acima das expectativas. Retornamos às nossas planilhas, ajustamos algumas premissas e a conclusão é de que as ações KEPL3 ainda tem um bom potencial de alta pela frente”, concluiu o analista.

Fontes de conteúdo e relatórios consultados: Nu Invest.

Edição: Ernani Fagundes, jornalista responsável pelo conteúdo do Blog do Grana.

E-mail: ernani.fagundes@grana.capital (mande sua opinião sobre o Blog do Grana e sugestões para melhorar sua experiência no site de notícias de mercado e de investimentos).

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App