TSLA34: Conheça o BDR da Tesla, empresa de Elon Musk

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

TSLA34 é o recibo negociado no Brasil (BDR, na sigla em inglês) da ação da Tesla, empresa do bilionário Elon Musk.

Por exemplo, cada ação americana da Tesla (TSLA) equivale a 32 BDRs TSLA34 negociados no Brasil.

Aqui no Blog do Grana, você terá informações sobre esse recibo da ação da Tesla negociado na Bolsa brasileira (B3) e sobre o balanço do 1º trimestre de 2022.

Confira na sequência do texto:

Atuação da Tesla

Antes de mais nada, vale lembrar que anteriormente a Tesla era denominada de Tesla Motors, e muitos investidores ainda a conhecem pelo nome antigo.

De acordo com os princípios atuais da companhia, hoje a Tesla é mais que uma empresa que cria, desenvolve, fabrica e vende veículos e produtos de armazenamento de energia.

Produção de veículos elétricos

Na descrição do analista Régis Chinchila, da corretora Terra Investimentos, sobre a área automotiva, a companhia produz e vende os seguintes veículos elétricos: o modelo S, sedan, e o modelo X, um utilitário esportivo.

“A empresa já entregou centenas de milhares de veículos modelo S em todo o mundo, além de desenvolver seus próprios veículos, vende produtos de armazenamento de energia”, diz o analista.

“Entre seus produtos de armazenamento de energia estão a bateria recarregável Powerwall de 7 e 10 quilowatt-hora (kwh) para aplicações residenciais, e a Powerpack, de 100 quilowatt-hora (kwh), para aplicações comerciais e industriais”, descreve o analista.

Tecnologia em baterias recarregáveis

De acordo com o relatório da Terra Investimentos, a empresa oferece seus produtos de armazenamento de energia sob a marca Tesla Energy.

Dessa forma, a companhia fabrica seus produtos principalmente nas suas fábricas em Fremont e em Lathrop, na Califórnia, nos Estados Unidos.

Ainda naquele país, a Tesla tem uma “super fábrica” (Gigafactory) perto de Reno, no Estado de Nevada (EUA).

“A empresa usa conjuntos de bateria fabricados na Gigafactory em seus produtos de armazenamento de energia”, conclui o analista.

A Tesla também possui novas fábricas na Alemanha e na China.

Riscos da Tesla BDR TSLA34 no Brasil

Escassez de componentes para produção

Assim como outras montadoras, a Tesla possui diversos desafios logísticos, desde a escassez de componentes e até falta de mão-de-obra que a distanciam de sua capacidade máxima.

O problema logístico pode persistir nos próximos trimestres na Tesla e também em outros concorrentes da área automotiva.

“A companhia sinalizou que os problemas na cadeia de suprimentos global, que contribuiu para uma redução nas vendas para a maioria das outras grandes montadoras, também irão atingir a Tesla em 2022”, descreveu relatório da XP Investimentos, assinado pela estrategista Jennie Li e os analistas internacionais Vinicius Araujo e Rafael Nobre.

Movimentos especulativos

De acordo com o relatório da Levante Research, há indícios de movimentos especulativos nas negociações de derivativos, com uma procura anormal para compra de opções de compra (call) da Tesla.

Contudo, a venda de Elon Musk de uma parte de suas ações, quase 2% de todo o capital da companhia – traz impacto negativo no preço das ações TSLA no curto prazo.

Histórico de polêmicas de Elon Musk

De acordo com a Levante Research, Elon Musk tem um histórico de declarações polêmicas nas suas redes sociais e capazes de movimentar o mercado, algumas das quais já o colocaram em problemas com os reguladores.

Em 2018, ele concordou em deixar o cargo de presidente da Tesla como parte de um acordo com a SEC, a Comissão de Valores Mobiliários americana.

O órgão processou Musk por fraude, alegando que ele enganou os investidores quando “tweetou” que havia garantido financiamento para tornar a Tesla privada.

Em novembro de 2021, Elon Musk também movimentou de maneira veemente o seu perfil na rede social Twitter.

Por meio da rede social, o empresário perguntou aos seus seguidores se ele deveria vender 10% da sua participação na Tesla neste momento.

De antemão, ele se comprometeu a seguir o resultado, cuja escolha foi mesmo pela redução na sua participação na companhia.

E desde novembro de 2021, Elon Musk passou a vender gradativamente parte de suas 170,5 milhões de ações “TSLA” em carteira.

De acordo com projeções do mercado, essa venda gradual do empresário pode movimentar US$ 21 bilhões no mercado.

Na polêmica mais recente, Elon Musk comprou uma fatia do Twitter e fez uma oferta para comprar as ações em circulação do Twitter, mas um dos príncipes da Arábia Saudita, Alwaleed Bin Talal, um dos grandes acionistas da rede social rejeitou a proposta de Musk.

Nas redes sociais, os investidores reclamaram que Musk estava mais preocupado com o Twitter do que com a Tesla.

Balanço trimestral da Tesla TSLA34

No 1º trimestre de 2022, a Tesla entregou 310 mil veículos, praticamente todos do modelo 3/Y, com 295 mil veículos entregues.

O total de veículos produzidos somou no ano 305 mil, crescimento de 69% no ano contra ano.

Receita com veículos e geração de energia

A receita de veículos incluindo créditos regulatórios foi de 17,54 bilhões de dólares, crescimento de 84% no ano contra ano.

Margens

A margem bruta “ex” créditos foi de 31,6% no 1º trimestre de 2022, expansão de 6,1 pontos porcentuais contra a base do 1° trimestre de 2021.

Além da expansão da margem bruta, o Ebitda ajustado foi de US$ 5,02 bilhões, crescimento de 173%.

Com isso, a margem operacional fechou o trimestre em 26,8%, expansão de 9,1 pontos percentuais contra o 1º trimestre de 2021.

Lucro por ação

O lucro justado foi de US$ 3,74 por ação, acima das expectativas, que giravam em torno dos US$ 2,24 por ação.

Geração de caixa

A geração de caixa livre foi de US$ 2,22 bilhões no 1º trimestre de 2022, crescimento de 660% contra o mesmo período de 2021.

Análise da Levante sobre Tesla TSLA34

De acordo com relatório da Levante, o resultado do 1º trimestre de 2022 da Tesla foi “bom” em termos de receita, margens e lucro.

Mesmo com as paralisações na fábrica de Xangai e preço de insumos para a fabricação dos carros mais elevados, enxergamos que a Tesla efetuou um excelente trabalho, conseguindo repassar grande parte desse aumento no valor de seus veículos.

Exemplo disso ocorreu na metade de março deste ano, quando ela elevou o preço do modelo Y no mercado chinês, saindo de US$ 47,6 mil para US$ 49,9 mil.

Além deste reajuste de março, a Tesla havia reajustado o preço dos veículos duas vezes desde janeiro de 2022.

A companhia informou que vem buscando diversificar a matéria-prima utilizada hoje para fabricação dos veículos, sendo mais um ponto positivo para a empresa na otimização de custos.

Outro destaque positivo para a Tesla é a abertura e início da produção de veículos elétricos na nova fábrica na Alemanha, trazendo um marco importante para a companhia que exporta seus veículos para a Europa através da sua fábrica em Xangai, que a propósito teve paralisações por conta da nova onda de covid-19 na região.

Análise da XP sobre a BDR TSLA34

Na avaliação do relatório Radar Global da XP, o crescimento da receita foi impulsionado em parte por um crescimento no número de carros entregues pela Tesla alinhado ao aumento nos preços médios de venda.

No início deste mês, a Tesla registrou entregas de veículos de 310.048 no primeiro trimestre, sendo esta a maior aproximação das vendas divulgadas pela empresa.

Os veículos Model 3 e Model Y representaram 95%, ou 295.324, das entregas no período encerrado em 31 de março de 2022.

Na teleconferência de resultados sobre o 1º trimestre de 2022 da empresa, o CFO Zachary Kirkhorn e o CEO Elon Musk disseram que a Tesla continua confiante de que pode crescer pelo menos 50% em relação aos números de 2021.

No entanto, os executivos observaram que a empresa perdeu cerca de um mês de “volume de produção” em Xangai devido a paralisações relacionadas ao Covid.

A empresa não deu orientações detalhadas sobre as entregas daqui para frente, mas disse que espera um crescimento anual de 50% em uma base plurianual e alertou que as restrições da cadeia de suprimentos provavelmente continuarão até 2022.

Musk também disse que acredita que a inflação é pior do que relatada e continuará ao longo do ano.

Análise da Avenue sobre Tesla (TSLA)

A Tesla disse que planeja aumentar sua capacidade de fabricação o mais rápido possível e reiterou que, em um horizonte de vários anos, espera alcançar um crescimento médio anual de 50% nas entregas de veículos.

A taxa de crescimento dependerá da capacidade do equipamento, da eficiência operacional e da capacidade e estabilidade da cadeia de suprimentos.

A montadora de carros elétricos observou que suas próprias fábricas estão funcionando abaixo da capacidade há vários trimestres, já que a cadeia de suprimentos se tornou o principal fator limitante, que provavelmente continuará até o restante de 2022.

Entre os destaques a empresa ressaltou que conseguiu reduzir o custo por unidade vendida, graças às fábricas super tecnológicas, mas que também sentiu a alta da inflação sobre as peças do setor, o que aumentou os seus custos operacionais.

A companhia ainda abriu recentemente duas novas fábricas fora de Berlim, na Alemanha, e Austin, no Texas, e o CEO, Elon Musk, apareceu para os dois eventos de inauguração.

Os investimentos nessas novas instalações maciças fazem parte do esforço da Tesla para localizar a produção e reduzir o custo e melhorar a velocidade de distribuição de veículos das fábricas para clientes nos principais mercados da Ásia e da Europa.

Além disso as operações em Shanghai (China) chegaram a ficar paradas, mas já foram retomadas e as plantas no Texas já estão produzindo.

A TSLA possui um valor de mercado de aproximadamente US$ 981 bilhões, sem dividend yield.

No ano, as ações da Tesla recuavam 7,49% até a data do balanço do 1º trimestre (20/04/2022).

Robôs humanóides nas fábricas da Tesla

Elon Musk disse que o Optimus Human Robot é “a coisa mais importante” na qual a Tesla estará trabalhando este ano.

Para o CEO, os robôs humanóides serão importantes para lidar com a escassez de mão de obra nos Estados Unidos, e seu primeiro uso será em suas próprias fábricas.

Além disso, Musk também anunciou que a empresa não lançará novos modelos de veículos este ano.

Relatórios consultados: Terra Investimentos, Levante Research, XP Investimentos e Avenue Intelligence.

Edição: Ernani Fagundes, jornalista responsável pelo conteúdo do Blog do Grana.

E-mail: ernani.fagundes@grana.capital

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App