Privatização da Eletrobras (ELET3) é adiada por 20 dias em pedido de vista coletivo do TCU

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

Privatização da Eletrobras (ELET3) é adiada

A privatização da Eletrobras (ELET3) é adiada, por pelo menos 20 dias, por meio de um pedido de vista coletivo da presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Ana Arraes.

O principal problema do adiamento é a troca de toda a documentação na SEC, a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, o que pode levar o processo de privatização da Eletrobras para o conturbado período eleitoral no Brasil.

O governo federal tem a esperança de privatizar a Eletrobras até 13 de maio de 2022, segundo reportagens da grande imprensa (O Globo, Valor Econômico e Broadcast/Agência Estado).

“O governo e o BNDES têm insistido que a Corte deve aprovar a operação até, no máximo, 27 de abril. Dessa forma, ainda seria possível liquidar a privatização em 13 de maio. Depois desta data, a operação demandaria o balanço do 1º trimestre de 2022”, observou o coordenador do departamento econômico do Banco ABC Brasil, Daniel Xavier, em relatório.

“Atrasar a venda em um mês pode ajudar a aumentar o preço, já que a data de referência para o seu cálculo muda de dezembro de 2021 para março de 2022. Mas, o aumento de capital da empresa teria que ser adiado para julho, correndo mais risco de insucesso devido ao processo eleitoral”, alertou Xavier.

No início da sessão de hoje no TCU, por volta das 14h30, o ministro Aroldo Cedraz (TCU) relator da proposta de privatização colocou em seu voto um mecanismo de reestatização da Eletrobras (uma cláusula de poison pill) prevendo o pagamento adequado aos demais acionistas num eventual caso de reestatização da companhia no futuro.

Com o desfecho por um adiamento de 20 dias, e não por 60 dias como temia o mercado, a ação da Eletrobras (ELET3) subiu 3,94%, a R$ 42,20 por ação ON no encerramento da Bolsa.

Eletrobras (ELET6) disparou 4,60%, a R$ 42,27 por ação PNB. Ambas as ações entre as maiores altas do Ibovespa hoje.

Foto: Divulgação Itaipu/Caio Coronel/Agência Brasil.

ETF de Ibovespa (BOVA11) e ETF de S&P 500 (IVVB11)

O principal ETF de Ibovespa (BOVA11) fechou em queda de 0,78%, a R$ 110,05 por cota. O Ibovespa encerrou hoje em baixa de 0,62%, aos 114.343 pontos.

Já o principal ETF de S&P 500 (IVVB11) fechou em baixa de 0,73%, a R$ 225,50 por cota. O índice S&P 500 encerrou em leve queda de 0,06%, aos 4.459 pontos.

O Dow Jones registrou alta de 0,71%, aos 35.160 pontos, enquanto o Nasdaq Composite mostrou queda de 1,22%, aos 13.453 pontos.

Vale (VALE3)

A produção de minério de ferro da Vale atingiu 63,928 milhões toneladas no 1º trimestre de 2022, queda de 6% na comparação anual e baixa de 22,5% na comparação trimestral.

As vendas da Vale somaram 53,603 milhões de toneladas, queda de 9,6% na comparação anual e baixa 35,5% em relação ao 4º trimestre de 2021.

No fechamento do mercado, VALE3 caiu 2,60%, a R$ 85,40 por ação ON.

Usiminas (USIM5)

Usiminas registrou lucro de R$ 1,26 bilhão, queda de 49% na comparação anual.

A receita da Usiminas caiu 3%, para R$ 7,84 bilhões no 1º trimestre de 2022.

A empresa também informou que fará emissão de R$ 700 milhões em debêntures.

Com a divulgação dos resultados, USIM5 desabou 6,34%, a R$ 12,27 por ação PNA, e figurou entre as maiores baixas do Ibovespa.

Assaí (ASAI3)

Assaí exibiu receita líquida de R$ 11,4 bilhões no 1º trimestre de 2022, crescimento de 21,1% na comparação anual.

No fechamento do mercado, ASAI3 fechou em alta de 1,53%, a R$ 16,59 por ação ON.

Notas de mercado

Aqui no Blog do Grana, você terá informações sobre os principais assuntos da Bolsa (B3).

As notas e fatos relevantes informados abaixo podem ter influenciado a movimentação das ações das companhias citadas no pregão de hoje, de acordo com relatórios* de mercado.

Braskem (BRKM5)

Braskem distribuirá R$ 1,35 bilhões em dividendos aos seus acionistas, o equivalente a R$ 1,696 por ação.

No fechamento do mercado, BRKM5 caiu 1,69%, a R$ 41,39 por ação PNA.

CCR (CCRO3)

CCR distribuirá R$ 176,6 milhões em dividendos aos seus acionistas, o equivalente a R$ 0,087 por ação CCRO3.

No fechamento do mercado, CCRO3 mostrou alta de 0,64%, a R$ 13,75 por ação ON.

Pão de Açúcar (PCAR3)

Pão de Açúcar informou faturamento bruto consolidado de R$ 11,1 bilhões no 1º trimestre de 2022, alta de 11,2% na comparação anual.

PCAR3 caiu 1,43%, a R$ 23,42 por ação ON.

Carrefour Brasil (CRFB3)

Carrefour Brasil registrou vendas brutas consolidadas de R$ 20,8 bilhões no 1º trimestre de 2022, aumento de 14,5% na comparação anual.

CRFB3 caiu 1,41%, a R$ 21,75 por ação ON.

Randon (RAPT4)

Randon registra receita líquida de R$ 2,5 bilhões no 1º trimestre de 2022, alta de 29,4% na comparação anual.

Com a divulgação dos resultados, RAPT4 disparou 4,28%, a R$ 10,89 por ação PN.

Fras-Le (FRAS3)

Fras-Le divulga receita líquida de R$ 704,8 milhões no 1º trimestre de 2022, aumento de 10% na comparação anual.

Com a divulgação dos resultados, FRAS3 disparou 4,80%, a R$ 10,91 por ação ON.

PetroRio (PRIO3)

PetroRio desiste da venda de 10% do Campo de Manati para a Gas Bridge.

No fechamento do mercado, PRIO3 mostrou alta de 4,22%, a R$ 25,70 por ação ON.

Gol Linhas Aéreas (GOLL4) e Mercado Livre (MELI34)

Gol Linhas Aéreas converterá até 12 aeronaves para uso exclusivo do Mercado Livre.

A ação de GOLL4 oscilou ao longo do dia e fechou estável (0%) em R$ 16,41 por ação PN.

Já o recibo da ação de Mercado Livre (MELI34) caiu 5,05%, a R$ 41,77 por BDR negociado no Brasil.

Natura (NTCO3)

Hoje (20/04/2022), em dia de Assembleia Geral Ordinária (AGO) da Natura, as ações da companhia (NTCO3) encerraram como a maior baixa do Ibovespa (-15,58%), a R$ 21,35 por ação ON.

O período de silêncio da companhia começa amanhã (21 de abril de 2022) e a publicação do balanço do 1º trimestre de 2022 está programada para o próximo dia 5 de maio de 2022.

Em prévia, a equipe de análise da XP relatou que espera um 1º trimestre fraco, puxado por uma dinâmica ainda desafiadora em Avon LatAm, desalavancagem operacional na TBS e uma performance mais fraca na Avon Internacional devido ao conflito entre Rússia e Ucrânia.

“Esperamos uma queda de 14,5% da receita líquida consolidada (na comparação anual) com um EBITDA ajustado em R$522 milhões (margem de 6,5%) e um prejuízo líquido de R$ 222 milhões”, relatou a XP.

BDRs e ações globais

Aura Minerals (AURA33)

Aura Minerals anuncia aquisição da Big River Gold.

AURA33 caiu 2,46%, a R$ 42 por BDR negociado na B3.

Heineken (HEIA34)

Heineken registra lucro de 417 milhões de euros no 1º trimestre de 2022, quase 2,5 vezes o obtido em igual período de 2021.

Na Bolsa de Amsterdam, os papéis da Heineken (HEIA) fecharam em alta de 5,15%, a 93,94 euros por ação.

IBM (IBMB34)

A IBM reportou receita de US$ 14,2 bilhões no 1º trimestre de 2022 versus US$ 13,9 bilhões esperados pelos analistas.

O lucro foi de US$ 1,40 por ação versus US$ 1,38 de lucro por ação (LPA) projetado pelo mercado.

O segmento de software da IBM gerou US$ 5,77 bilhões em receita no 1º trimestre de 2022, um aumento de 12%.

A receita ficou acima do consenso de US$ 5,63 bilhões entre os analistas consultados pela StreetAccount.

A receita de consultoria aumentou 13%, para US$ 4,83 bilhões no 1º trimestre de 2022, acima do consenso de US$ 4,6 bilhões da StreetAccount. 

No Brasil, o recibo da ação da IBM (IBMB34) disparou 6,80%, a R$ 640,20 por BDR negociado na B3.

Em Nova York, a ação da IBM saltou 7,10% e figurou entre as maiores altas do S&P 500.

Netflix (NFLX34)

A Netflix informou receita de US$ 7,8 bilhões no 1º trimestre de 2022 versus a expectativa de US$ 7,9 bilhões do mercado.

O lucro foi de US$ 3,53 por ação versus a projeção de US$ 2,91 de lucro por ação (LPA) do mercado.

A Netflix comunicou que a suspensão de seu serviço na Rússia e o encerramento de todas as assinaturas pagas russas resultaram na perda de 700 mil assinantes.

Excluindo esse impacto do boicote à Rússia, a Netflix teria visto 500 mil adições líquidas durante o 1º trimestre de 2022. 

A Netflix disse anteriormente aos acionistas que esperava adicionar 2,5 milhões de assinantes líquidos durante o 1º trimestre deste ano.

Analistas previam que esse número estaria mais próximo de 2,7 milhões, mas foi negativo em 200 mil assinaturas.

Além dos números mais fracos do que o previsto, os executivos da empresa admitiram discretamente que a concorrência de outras plataformas de streaming estava tendo um impacto negativo em seu crescimento. A companhia aumentou seus gastos com conteúdo, principalmente em originais.

Para pagar por isso, aumentou os preços de seu serviço, enquanto a empresa está explorando outras opções de crescimento, como adicionar videogames na plataforma.

Segundo cálculos da Avenue Intelligence, a Netflix possui valor aproximado US$ 154,76 bilhões.

No ano as ações recuavam 42,43% até ontem, sem contar a queda de 35,12% hoje (20/04) em Nova York (EUA), a maior baixa do S&P 500.

No Brasil, o recibo da ação da Netflix (NFLX34) desabou 24,27%, a R$ 93,94 por BDR negociado na B3.

Fontes de conteúdo e relatórios consultados: B3, CVM, ABC Brasil, Avenue Intelligence, BTG Pactual, XP, Levante Research, Guide Investimentos, Toro Investimentos e Terra Investimentos.

Edição: Ernani Fagundes, jornalista responsável pelo conteúdo do Blog do Grana.

E-mail: ernani.fagundes@grana.capital (mande sua opinião sobre o Blog do Grana e sugestões para melhorar sua experiência no site de notícias de mercado e de investimentos).

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App