JP Morgan (JPMC34): Conheça o BDR do banco americano negociado na B3

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

JPMC34 é código do recibo da ação (BDR, ou Brazilian Depositary Receipt) do banco norte-americano JP Morgan Chase & Co negociado na Bolsa brasileira (B3). Em Nova York, o código da ação é JPM.

Aqui no Blog do Grana, você terá informações sobre essa aplicação financeira disponível para negociação no Brasil e sobre os últimos números divulgados pelo Banco JP Morgan, além de consultar os relatórios da casa de análise Levante e da corretora Avenue sobre a ação JPM nos EUA.

Confira na sequência do texto:

Atuação do JP Morgan (JPMC34)

O JP Morgan é atualmente o maior banco dos EUA, com valor de mercado de aproximadamente US$ 380 bilhões.

A instituição foi fundada originalmente em 1678 em Delaware (EUA) e possui sede em Nova York (EUA).

O banco global atua em mais de 100 países, inclusive no Brasil, sendo que aqui no nosso País não opera no varejo (para pessoas físicas).

Desempenho da ação do JP Morgan (JPM)

A ação negocia em torno de 11,6 vezes o lucro, com um dividend yield (lucro proporcional ao valor da ação) aproximado de 3,1% nos últimos 12 meses.

No ano de 2022, as ações recuavam 19%. O valor dos papéis caiu cerca de 2,5% em 13 de abril de 2022, logo após a divulgação do balanço ao mercado.

Balanço do JP Morgan Chase (BDR JPMC34 no Brasil)

Lucro por ação

O lucro foi de US$ 2,63 por ação no 1º trimestre de 2022, ante US$ 4,5 por ação no 1º trimestre de 2021.

Lucro por ação ajustado

O lucro ajustado ficou em US$ 2,76 por ação versus a expectativa de US$ 2,69 por ação estimada pelo mercado.

Receita líquida

A receita líquida foi de US$ 31,6 bilhões no 1º trimestre de 2022, queda de 5% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Lucro líquido

O lucro líquido foi de US$ 8,3 bilhões no 1º trimestre de 2022, queda de 42% na comparação anual.

Retorno sobre o patrimônio líquido (ROE)

O Retorno sobre o Patrimônio Líquido (ROE) caiu de 16% para 13%.

O que esperar da ação de JP Morgan

“Acreditamos que os preços das ações do JP Morgan (JPM) reajam negativamente no curto prazo, refletindo um cenário de maior risco para os bancos que têm exposição à Rússia”, descreve relatório divulgado pela casa de análise Levante.

Análise da Levante sobre o JP Morgan

O início da temporada de resultados no exterior começou um pouco “azedo” para o JP Morgan, que foi afetado por aumento de provisões com empréstimos pessoais, redução de financiamento de casas e provisão para perdas com exposição à Rússia.

Aliás, a provisão para perdas de crédito no 1º trimestre de 2022 encerrou em US$ 1,5 bilhão, repercutindo os riscos da guerra na Ucrânia, a exposição na Rússia e a inflação global.

Relatório da Avenue sobre JP Morgan (JPM)

Na visão do estrategista chefe da Avenue, Willian Castro Alves, o JP reportou receitas 5% menores na comparação anual, mas acima do esperado pelo mercado.

Lucros caíram 42% na esteira de aumento de reservas para devedores duvidosos. Contrariamente ao que aconteceu no último trimestre quando o banco liberou reservas, nesse trimestre o banco elevou reservas.

A provisão do banco para perdas de crédito foi de US$ 1,46 bilhão, mais que o dobro dos US$ 617,5 milhões esperados pelos analistas.

O banco também registrou US$ 524 milhões em perdas causadas por remarcações e spreads crescentes após a invasão russa na Ucrânia. Esses 2 fatores combinadas responderam por 36% dos 42% de queda de lucros do banco.

Olhando separadamente, as áreas de Renda Fixa e mesa de operações de ações bateram estimativas, já a área de banco de investimento ficou aquém do esperado.
 
Não ajudaram as ações os comentários do CEO Jamie Dimon que se mostrou menos otimista olhando a frente, ressaltando preocupações com inflação, o conflito europeu e a possibilidade de recessão. O JPMorgan está encerrando suas operações na Rússia.

Jamie Dimon disse que, embora a administração não esteja preocupada com sua exposição na Rússia, o banco ainda pode ter perdas de “cerca de US$ 1 bilhão ao longo do tempo”.
 

Fontes de conteúdo: JP Morgan Chase & Co, Avenue Intelligence e Levante

Edição: Ernani Fagundes, jornalista responsável pelo conteúdo do Blog do Grana.

E-mail: ernani.fagundes@grana.capital (mande sua opinião sobre o Blog do Grana e sugestões para melhorar sua experiência no site de notícias de mercado e de investimentos).

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App