Ibovespa em 04-01-2022: Bolsa recua 0,39%, aos 103.513 pontos

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

O Ibovespa em 04-01-2022 registrou baixa de 0,39%, aos 103.513 pontos. Em janeiro e no acumulado do ano de 2022 já acumula baixa de 1,25%.

Em Nova York, o Dow Jones subiu 0,59%, a 36.779 pontos. O S&P 500 caiu 0,06%, aos 4.793 pontos. Já o Nasdaq Composite registrou queda de 1,33%, a 15.622 pontos.

Aqui no Blog do Grana, você acompanha os principais assuntos que movimentam seus investimentos na Bolsa (B3).

Confira na sequência do texto:

Destaques na Bolsa: CSN Mineração (CMIN3) e Itaú (ITUB4)

O papel da CSN Mineração (CMIN3) disparou 7,09%, a maior alta do Ibovespa.

Conforme observou relatório de mercado do BTG Pactual, o preço do minério de ferro mostrou alta de 0,70% no porto chinês de Qingdao, na China, cotado em US$ 123,12 por tonelada, aumento que beneficia exportadoras brasileiras.

O setor de commodities também avançou com as exportadoras de papel e celulose: Klabin (+2,55%) e Suzano (+2,18%). Veja detalhes dos preços das ações no quadro Maiores Altas.

Já a ação do Itaú avançou 2,84%, segunda maior alta do Ibovespa hoje. O papel do banco aparece entre os mais recomendados por corretoras para o mês de janeiro.

Maiores altas

  • CSN Mineração (CMIN3): +7,09%, a R$ 7,55 por ação ON
  • Itaú (ITUB4): +2,84%, a R$ 22,12 por ação PN
  • Klabin (KLBN11): +2,55%, a R$ 26,17 por unit
  • Suzano (SUZB3): +2,18%, a R$ 60,89 por ação ON
  • B3 (B3SA3): +2,15%, a R$ 10,95 por ação ON

Maiores baixas

  • Banco Inter (BIDI11): -13,68%, a R$ 24,30 por unit
  • Petz (PETZ3): -8,91%, a R$ 14,41 por ação ON
  • Banco Pan (BPAN4): -7,82%, a R$ 9,43 por ação PN
  • Locaweb (LWSA3): -6,75%, a R$ 11,93 por ação ON
  • CVC Brasil (CVCB3): -6,53%, a R$ 12,03 por ação ON

Outros ativos em destaque

As notas e fatos relevantes informados abaixo podem ter influenciado a movimentação das ações das companhias citadas no pregão de hoje, de acordo com relatórios* de mercado.

AES Brasil (AESB3)

A AES Operações, subsidiária da AES Brasil, celebrou com o Itaú um acordo de investimentos para projetos de geração de energia renovável.

AESB3 fechou em baixa de 1,01%, a R$ 10,79 por ação ON.

Cosan (CSAN3)

A subsidiária da Cosan – a Compass – concluiu a compra de 51% da SulGás.

Com a notícia, CSAN3 encerrou em alta de 0,61%, a R$ 21,30 por ação ON.

EDP Brasil (ENBR3)

Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a compra da Celg-T pela EDP Brasil.

ENBR3 fechou em leve baixa de 0,09%, a R$ 20,72 por ação ON.

Dasa (DASA3)

Dasa concluiu a compra da Gem Assistência Médica por R$ 760 milhões.

DASA3 registrou queda de 5,05%, a R$ 30,86 por ação ON.

Unifique (FIQE3)

Unifique comprou o provedor de internet de fibra óptica Mosaico Telecom por R$ 14,4 milhões.

FIQE3 mostrou baixa de 3,08%, a R$ 5,98 por ação ON.

Eneva (ENEV3)

Conselhos de administração da Eneva e da Focus aprovaram a incorporação da Focus pela Eneva.

ENEV3 teve queda de 3,94%, a R$ 12,91 por ação ON.

JBS (JBSS3)

JBS concluiu a compra da Rivelea, empresa de processamento de carnes na Austrália.

JBSS3 teve leve queda de 0,30%, a R$ 36,24 por ação ON.

O plano do presidente norte-americano Joe Biden para aumentar competitividade do setor de carnes nos EUA pode interferir diferentemente no desempenho das ações de JBS, Marfrig e Minerva, que possuem unidades no exterior.

Por exemplo, a Marfrig (MRFG3) teve alta de 1,13%, a R$ 21,51 por ação ON. Já a Minerva (BEEF3) teve queda de 2,39%, a R$ 10,19 por ação ON.

Vivara (VIVA3)

Vivara informou a prorrogação dos incentivos fiscais do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do Amazonas até 2032.

A ação da Vivara registrou queda de 4,29%, a R$ 23,23 por ação ON.

Petrobras (PETR3/PETR4)

Após a reunião dos países produtores de petróleo (OPEP+), o petróleo Brent subiu 1,3% para US$ 80 por barril, na Europa.

No mesmo ritmo, o petróleo WTI subiu 1,2%, para US$ 76,99 por barril, no Texas (EUA).

A ação com direito a voto (ON) da Petrobras, a PETR3, preferida de investidores estrangeiros, acompanhou o aumento do petróleo no exterior e avançou 1,27%, para R$ 31,92 por ação.

Já a PN – a mais negociada no Brasil – teve alta de 0,38%, a R$ 29,20 por ação.

BDRs e ações EUA

Nos EUA, o Dow Jones voltou a bater recorde histórico de pontuação hoje, mas S&P 500 e Nasdaq tiveram movimentos de realização de lucros recentes.

Conforme observou o economista-chefe da Modalmais, Alvaro Bandeira, em relatório de fechamento de mercado, o PMI (pesquisa de produção mensal) industrial de dezembro teve queda para 58,7 pontos, vindo de 61,1 pontos.

Já a abertura de postos de trabalho caiu para 10,56 milhões em novembro, vindo de 11 milhões, mas com o mercado de mão de obra ainda muito pressionado. Os EUA anunciaram que ultrapassaram marca de 1 milhão de casos de infecção pelo covid-19, e recorde de casos também no Reino Unido. 

“O Federal Reserve (FED, o BC dos EUA) começa a estudar alternativas para redução de sua carteira de ativos, hoje em US$ 8,76 trilhões. Já o presidente regional do FED de Minneapolis, Kashkari, acha que a inflação mais longa pode superar a meta de 2%, enquanto o BCE (BC europeu) esperar redução da pressão por energia e gargalos de fornecimento em 2022”, comentou Bandeira.

Já instituição JP Morgan calculou o PMI global de dezembro em 54,2 pontos, estável pelo terceiro mês seguido. 

“A alta de casos de covid-19 nos EUA não pareceu preocupar os investidores, que continuam com apetite ao risco por lá”, afirmou Romero de Oliveira, head de renda variável da Valor Investimentos, ao Blog do Grana.

“Mas uma alta dos juros nos Estados Unidos pode ter impactos no mundo todo”, alertou Zeller Bernardino, especialista da Valor Investimentos.

Pfizer (PFIZ34), Boeing (BOEI34) e Amex (AXPB34)

Com notícias mais amenas sobre a gravidade da variante ômicron, a Boeing subiu 2,78%, alta pelo segundo dia consecutivo.

A American Express, ligada aos gastos com turismo, também subiu mais 3,21% hoje, após a alta de 2,82% ontem.

Na outra ponta, a Pfizer passou por realização de lucros e caiu 3,74%, entre as maiores baixas em Nova York.

Big Techs Apple (AAPL34) e Microsoft (MSFT34)

As big techs tiveram um pregão com sinal negativo hoje: Apple (-1,27%) e Microsoft (-1,71%).

Intel (ITLC34), AMD (A1MD34), Cisco (CSCO34) e Salesforce.com (SSFO34)

As outras empresas de tecnologia acompanharam o sinal negativo: AMD (-3,87%), Intel (-0,13%), Cisco (-2,45%) e Salesforce.com (-2,83%).

Goldman Sachs (GSGI34), JP Morgan (JPMC34) e Bank of America (BOAC34)

Com as notícias sobre a atuação do Federal Reserve (FED, o BC dos EUA), os bancos norte-americanos apareceram pelo segundo dia consecutivo entre as maiores altas: Bank of America (+3,92%), Goldman Sachs (+3,07%) e JP Morgan (+3,79%).

Ford Motor (FDMO34), General Motors (GMCO34) e Caterpillar (CATP34)

O setor de veículos também ficou entre as maiores altas em Nova York pelo segundo dia consecutivo: Ford Motor (+11,67%), General Motors (+7,47%) e Caterpillar (+5,35%).

Relatórios de mercado consultados: B3, CVM, BTG Pactual, Guide Investimentos, Modalmais e Terra Investimentos.

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Fique por dentro!

Receba notícias como esta no seu e-mail.

Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App