Operar vendido na Bolsa: o que significa e dicas para adotar a estratégia

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

Operar vendido na bolsa: o que significa e dicas para adotar a estratégia

Existem várias maneiras de ganhar dinheiro na Bolsa de Valores. Afinal, ela possibilita a negociação de ativos de renda variável por diferentes meios. E uma delas é operar vendido.

Já ouviu falar sobre? Durante a nossa experiência (tanto como SAAS para o mercado financeiro, como investidores) percebemos uma coisa: muitos entendem a parte teórica. Mas na hora de aplicar na prática, as dúvidas começam a surgir.

Pensando nisso, resolvemos simplificar o processo e ajudar você a operar vendido na bolsa.

O que significa operar vendido?

Operar vendido é uma técnica em que o investidor vende uma ação com o objetivo de comprá-la novamente em um período próximo. Lucrando assim com a sua desvalorização.

Ainda não entendeu? Não se preocupe, a gente simplifica!

Imagine que exista uma ação que hoje vale R$50, mas há uma grande chance de ela entrar em queda nos próximos dias. Nesse caso, você pode vendê-la hoje e comprá-la no futuro por R$20, por exemplo.

O filme “A Grande Aposta” (2015) é uma obra de ficção que retrata muito bem como é operar vendido na bolsa de valores. Nele, um grupo de investidores consegue prever a crise do mercado imobiliário americano. Tornando-se os únicos a lucrar enquanto vários acumularam perdas. 

Diferença entre operar comprado ou vendido

Operar comprado é quando você compra uma ação esperando a sua valorização. Ou seja, se ao operar vendido o investidor compra a ação antes da queda para lucrar com a desvalorização, ao operar comprado ele adquire uma ação estável ou em queda esperando a sua valorização.

Executando a boleta para operar comprado ou vendido

Quer operar comprado ou vendido? Para isso, você deve acessar o home broker da sua corretora de investimentos. Lá você vai preencher a boleta de compra ou venda.

Ordem limitada

Na ordem limitada, o trader traça um limite de preço para que a ordem seja executada. Dessa forma é possível ter controle total da operação. Nesses casos, as ordens  de venda ditam o valor mínimo, enquanto as ordens de compra ditam o valor máximo.

A ordem limitada só é executada quando é possível obter o melhor preço ou o preço desejado.

Ordem a mercado

Esta é uma das ordens mais utilizadas no módulo day trade. A ordem a mercado é uma espécie de versão mais agressiva da ordem limitada. Ela ganhou este apelido por agredir a melhor oferta no book, sendo executada sempre no melhor preço do momento.

Na ordem a mercado o trader descreve quais ativos comprar e qual é a quantidade desejada. Sempre prezando pela agilidade da operação.

Ordem stop loss

Não tem muito tempo para se dedicar à compra e venda de ações? Talvez a ordem stop loss seja a melhor opção para você.

Nela, o trader opta por programar o preço desejado. Dessa forma, quando ele é atingido, é disparada uma ordem limitada.

Para utilizar a ordem stop loss em uma venda, basta programá-la para um valor menor que o obtido na cotação anterior. 

Já no caso de uma compra, o stop deve ser programado para um preço maior do que o obtido na cotação anterior.

Ordem O.T.O e O.T.O.S

Através da O.T.O (também conhecida como OCO) é possível programar a entrada e a saída da operação em uma mesma boleta em operações da day trade.

Nela o investidor pode escolher a estratégia que achar melhor e, por exemplo, programar a entrada com ordem limitada e a saída com um stop loss.

A O.T.O.S tem um funcionamento parecido com o O.T.O. No entanto, nela, em vez de dar entrada com ordem limitada, você começa com stop e sai com uma ordem de stop simultâneo.

Como obter rentabilidade operando vendido

Mas afinal, o que é necessário para lucrar ao operar vendido na bolsa de valores? Bom, levando em conta tudo o que já aprendemos sobre operar vendido na bolsa, o mais importante é que: para lucrar com a queda no preço de uma ação, você precisa vender essa ação por um preço e recomprar por um preço menor. Colocando a diferença dos valores no seu bolso.

Mas atenção! Se você já tiver essa ação na sua carteira não dá certo! Porque você vai vender e aí fica com nada. Mas se comprar de novo, fica com ela do mesmo jeito que estava antes.

Ou seja, para que essa operação dê certo, você precisa “alugar” essas ações de outra pessoa. E, aí sim, vendê-las. 

A partir desse momento da venda, o mercado considera você como vendido e descoberto. Afinal você vendeu algo que você ainda não possui.

Apesar dos profissionais do mercado usarem o termo descoberto, na prática você precisa estar coberto. Isso porque a corretora de valores exige alguma garantia da sua parte. 

Assim você comprova que tem condições de comprar as ações de volta para devolver pra pessoa que alugou para você.

Pontos muito importantes que você precisa entender para operar vendido 

Preste atenção nos custos! O valor de aluguel das ações, também conhecido como BTC (Banco de Títulos CLBC), é definido livremente entre as partes. 

Mas, se houver grandes discrepâncias em relação à média do mercado, o sistema BTC pode barrar a operação.

Não se esqueça da taxa de registro da B3. Inclua nas suas contas a taxa de 0,25% ao ano sobre o valor total negociado, com o mínimo de R$10 (o que for maior).

Além disso, também não podemos deixar de mencionar os custos de corretagem, emolumentos, além dos impostos sobre o lucro da operação.

Como funciona o manejo de risco ao operar vendido?

Lembre-se que, se a ação realmente cair, ela vai no máximo a zero. Logo, esse é o limite do seu lucro. No entanto, se tudo der errado, e a ação disparar, o “céu” é o limite para o seu prejuízo.

Tenha isso em mente na hora de planejar o manejo de risco!

Uma dica é programar uma ordem de recompra automática das ações (também conhecido como stop loss). Selecione o mínimo de lucro desejado e deixe tudo esquematizado com a corretora para evitar surpresas desagradáveis.

O que acontece se você ficar com as ações vendidas por mais de um dia?

Existem algumas situações em que o investidor fica com as ações por mais de um dia. Isso acontece quando o trader vende ações que não estão na sua carteira e não as compra de volta no mesmo dia.

Nesse caso, você precisa pegar o aluguel das ações vendidas através do home broker da sua corretora. Não se preocupe! A situação parece mais complicada do que realmente é.

Toda a operação é pela B3, o que facilita e confere a segurança que você deseja.

Ao alugar as ações, o operar vendido pode terminar a qualquer momento. Basta escolher a ordem desejada e informar à corretora.

Imposto de Renda sobre ganhos de capital

Se você teve lucro ao operar vendido na Bolsa, terá que fornecer essa informação na Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda da Pessoa Física (DIRPF) e também pagar o IR via DARF até o dia 30 do mês seguinte da operação realizada.

Já o investidor pessoa física que possui o aplicativo Grana não precisa se preocupar em para calcular o IR sobre ganho de capital nessas operações.

O aplicativo Grana faz isso de forma automática e gera o DARF para pagamento, facilitando a vida do aplicador, que estará em dia com a Receita Federal.

Se você ainda não possui o Grana, é só baixar o aplicativo e seguir todos os passos para não ter o risco de cair na malha fina do Leão do Imposto de Renda.

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Fique por dentro!

Receba notícias como esta no seu e-mail.

Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App