Pessoa física enfrentará volatilidade na Bolsa em 2022, alerta Carlos André

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

O investidor pessoa física deve estar preparado para volatilidade na Bolsa em 2022, alerta Carlos André, presidente da Santander Asset Management.

Ao mesmo tempo, Carlos André aponta que passado o período eleitoral, o último trimestre do próximo ano tende a ser um período de oportunidades na renda variável (ações e fundos de ações).

“O investidor precisa estar preparado para o cenário de volatilidade em 2022. Mas o componente eleitoral também pode contribuir para um final de ano (2022) bem diferente, com oportunidades na Bolsa”, ressaltou Carlos André, em coletiva de imprensa realizada em 8 de dezembro de 2021.

Volatilidade na Bolsa em ano eleitoral

Em outras palavras, Carlos André está avisando os investidores pessoas físicas que o valor das ações tende a apresentar sobe e desce constante (volatilidade) no ano que vem por causa do período que antecede as eleições.

Mas que depois da definição do quadro político, ele prevê um período de final de ano em que os investidores vão encontrar oportunidades para investir em renda variável (ações e fundos de ações) para obter ganhos no médio e longo prazo.

“Iniciaremos 2022 com uma visão neutra para Bolsa brasileira. Apesar dos níveis de preços em patamares relativamente atrativos, a perspectiva de inflação e juros elevados, aliados a um menor crescimento e maior volatilidade decorrente do cenário político, sugerem cautela”, afirmou.

Santander terá novos ETFs em 2022

Questionado pelo Blog do Grana sobre os planos do Santander na área de investimentos para pessoas físicas, Carlos André respondeu que a Santander Asset Management terá novos ETFs (Exchange Traded Funds, ou fundos negociados em Bolsa) em 2022.

“A gente tem planos para novos ETFs em 2022. ETFs buscando temas diferenciados, que não são explorados aqui”, respondeu o executivo.

“Nossos planos são de ETFs com ativos brasileiros. E a SAM Global (Santander Asset Management Global) pode aproveitar estruturas do mercado local”, completou.

Como exemplo recente dos projetos que a gestora colocou na prateleira, Carlos André citou o fundo de BDRs de ETFs do Santander voltado para investidores pessoas físicas.

“O Ações Globais BDR ETF possui tíquete inicial de R$ 100 no varejo”, exemplificou o executivo.

Cenário para Ações Americanas

Carlos André aponta que ainda há um viés positivo para bolsas americanas, mas também fez alertas para o investidor brasileiro.

“Para algumas ações precisa olhar para o nível de preços. A visão é que alguns ativos estão caros”, afirmou.

Ao ser questionado pela imprensa sobre ações de quais setores, o executivo citou o setor de tecnologia como exemplo.

O executivo ressaltou que a visão é favorável para ações internacionais.

“A recuperação do crescimento da atividade econômica nas diferentes regiões criam condições que suportam um bom desempenho de ações offshore no médio e longo prazo”, disse.

Cenário macro para Brasil

A Santander Asset prevê que a economia brasileira irá crescer apenas 0,5% em 2022.

A gestora também projeta a taxa básica de juros em 11,25% ao ano ao final do próximo ano, e estima a inflação oficial medida pelo IPCA em 5,4%, depois de uma inflação de 10,4% em 2021.

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App