Bolsa sobe 3,66% com aprovação da PEC dos Precatórios para bancar Auxílio

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

A aprovação da PEC dos Precatórios pelo Senado Federal na tarde de hoje com uma forma de bancar o Auxílio Brasil de R$ 400 por família foi bem recebida na Bolsa (B3).

Com isso, o Ibovespa subiu 3,66%, aos 104.466 pontos.

O sinal positivo externo também ajudou. Em Nova York (EUA), o Dow Jones avançou 1,82%, aos 34.639 pontos, enquanto o índice S&P 500 teve alta de 1,42%, aos 4.577 pontos. Já o Nasdaq Composite teve elevação de 0,83%, aos 15.381 pontos.

Aqui no Blog do Grana, você acompanha os principais assuntos que movimentam seus investimentos.

Confira na sequência do texto:

Destaque do dia: PEC dos precatórios aprovada

O Senado Federal aprovou a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que adia o pagamento de precatórios (dívidas do governo admitidas pela Justiça) até 2026 por 61 votos a 10.

A medida abre espaço fiscal para o governo bancar o Auxílio Brasil de R$ 400 para 17 milhões no próximo ano. A medida provisória que cria o Auxílio Brasil prevê o pagamento para 20 milhões de pessoas em 2022.

A solução foi vista no mercado como positiva, e o Ibovespa escalou a alta após a aprovação pelo Senado. O texto vai para a Câmara dos Deputados onde passará por nova votação em segundo turno.

Cenário Brasil: Recessão técnica no País

A economia encolheu 0,1% no terceiro trimestre de 2021 na comparação com o trimestre anterior, o que representa um quadro de recessão técnica no País, de acordo com as informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Desempenho um pouco mais fraco do que a expectativa do mercado e nossa projeção, ambas em 0,0%”, avaliou a equipe de economistas do Itaú.

Do lado da oferta, “outros serviços” – que incluem atividades de convívio social, como bares, restaurantes, hotéis, serviços de beleza, saúde e educação privadas – registraram forte avanço de 4,4% na comparação trimestral com ajuste sazonal, em linha com o esperado.

“O PIB do quarto trimestre de 2021 aponta para uma expansão trimestral de +0,1% e vemos leve viés de baixa para nossa projeção de crescimento do PIB em 2021, de 4,7%. Em 2022, esperamos que o PIB encolha 0,5%, principalmente por causa dos juros mais altos e seu impacto sobre setores sensíveis ao crédito”, projetou a equipe do Itaú, em relatório encaminhado ao Blog do Grana.

“Embora alguns especialistas já tenham classificado a queda como um sinal de recessão técnica, a verdade é que pela ótica do processo de crescimento da economia, nada indica que em 2022 haverá uma recessão econômica de fato”, afirma Allan Augusto Gallo Antonio, analista do Centro Mackenzie de Liberdade Econômica.

Já sob a ótica da oferta, as principais frustrações vieram da agropecuária e da indústria.

“A agropecuária contraiu 8% na comparação com o trimestre anterior, versus uma queda de 2,5% esperada pelo mercado. O setor industrial, por outro lado, permaneceu constante em zero. O setor de serviços (+1,1%) foi fragilizado pela piora do comércio e dos serviços de intermediação financeira, seguros, previdência complementar e serviços relativos”, comentou o economista Marco Antonio Caruso, em relatório conjunto com a equipe do Banco Original.

Mas há quem observe um cenário de estagnação na economia.

“Com atual cenário de estagnação aqui no Brasil, com queda do PIB, o que deveria em outros cenários, ter uma consequente queda de juros, temos um cenário diferente no Brasil, com uma inflação projetada na casa de 2 dígitos e um aumento de taxas como forma de controle”, afirma Amauri Júnior, da Phi Investimentos.

Na visão dele, cenário como esse, faz com que investidores migrem para renda fixa.

“Antes alocado em Bolsa, o capital pode migrar para ganhos maiores com menor risco, como alguns títulos atrelados à inflação e até mesmo à taxa Selic”, afirmou Amauri Júnior, ao Blog do Grana.

No Ibovespa, o setor de varejo foi o que mais sentiu os números do PIB, com baixas vistas em Americanas (AMER3), Lojas Americanas (LAME4), Grupo Soma (SOMA3) e Petz (PETZ3). (Veja quadro maiores baixas do Ibovespa abaixo).

Destaques da Bolsa: Braskem (BRKM5) e Petrobras (PETR3)

A Novonor (a antiga Odebrecht) comunicou possibilidade de vender sua fatia societária na Braskem por meio de uma oferta pública de ações.

Com a notícia sobre essa solução para a Novonor pagar os bancos credores parte de sua dívida bilionária, a ação da Braskem disparou 9,51% e fechou em R$ 57,80 por ação PNA.

A Petrobras (PETR3) que também está na sociedade da Braskem pegou carona na alta e subiu 8,63%, a R$ 29,52 por ação ON.

Cenário no exterior

Nos EUA, diante de uma nova onda de casos, o presidente norte-americano, Joe Biden, define uma nova estratégia para combater a nova variante (a ômicron) da covid-19.

As medidas incluem requisitos de testagem mais rígidos, estendendo a recomendação para uso de máscara e exigindo que as seguradoras privadas reembolsem o custo dos testes em casa.

Com essa iniciativa, papéis de grandes seguradoras privadas enfrentam volatilidade na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse).

Entre as notícias corporativas por lá, a Apple alertou os fornecedores de componentes sobre a desaceleração da demanda do iPhone 13.

Essa informação da Apple influenciou até os papéis de tecnologia nas bolsas europeias, conforme observou o coordenador do departamento econômico do Banco ABC Brasil, Daniel Xavier, em relatório.

Maiores altas do Ibovespa

  • Braskem (BRKM5): +9,51%, a R$ 57,80 por ação PNA
  • CSN (CSNA3): +9,17%, a R$ 23,57 por ação ON
  • Petrobras (PETR3): +8,63%, a R$ 29,52 por ação ON
  • JHSF (JHSF3): +8,42%, a R$ 5,02 por ação ON
  • Sabesp (SBSP3): +8,07%, a R$ 36,70 por ação ON

Maiores quedas do Ibovespa

  • Americanas (AMER3): -3,00%, a R$ 27,44 por ação ON
  • Lojas Americanas (LAME4): -2,55%, a R$ 4,97 por ação PN
  • Grupo Soma (SOMA3): -2,09%, a R$ 12,66 por ação ON
  • Petz (PETZ3): -2,01%, a R$ 18,08 por ação ON
  • Banco Inter (BIDI11): -1,35%, a R$ 32,99 por unit

Ativos em destaque

Taesa (TAEE11)

Taesa distribuirá R$ 321 milhões em dividendos e R$ 202 milhões em juros sobre capital próprio (JCP).

TAEE11 avançou 3,83%, a R$ 12,46 por unit.

Hypera (HYPE3)

Hypera protocola na Anvisa pedido de registro de medicamento de cannabis, segundo o Brazil Journal.

HYPE3 subiu 2,84%, a R$ 27,56 por ação ON.

Ser Educacional (SEER3)

Ser Educacional compra produtora de vídeo Delinea por R$ 20 milhões.

SEER3 avançou 3,40%, a R$ 10,33 por ação ON.

Viveo (VVEO3)

Viveo compra empresas de equipamentos hospitalares MedCare e Bemk, de Porto Alegre (RS).

Com a notícia, ao final do pregão, Viveo registrou alta 5,44%, a R$ 17,25 por ação de código VVEO3.

Banco Pan (BPAN4) e Mosaico (MOSI3)

Acionistas do Banco Pan e da Mosaico aprovam incorporação da Mosaico em assembleias.

BPAN4 evoluiu 0,64%, a R$ 11,01 por ação PN, enquanto Mosaico (MOSI3) subiu 1,07%, a R$ 8,50 por ação ON.

BDRs e ações EUA

Boeing (BOEI34), Amex (AXPB34) e Visa (VISA34)

Em dia de sinal azul em Nova York com novas medidas para conter a variante ômicron da covid-19, as ações da Boeing subiram 7,54%.

As empresas de cartões pegaram carona: American Express (+4,47%) e Visa (+4,28%)

Big Techs Apple (AAPL34) e Microsoft (MSFT34)

As Big Techs Apple (-0,61%) e Microsoft (-0,18%) mostraram perdas pelo segundo dia consecutivo em Nova York.

Outras empresas de tecnologia

Já outras empresas de tecnologia recuperaram parte das perdas recentes e ficaram com sinal positivo: Verizon/VERZ34 (+1,93%), Intel/ITLCO34 (+1,85%), Cisco/CSCO34 (+2,04%) e Salesforce/SSFO34 (+3,86%).

J&J (JNJB34) e Walmart (WALM34)

Na ponta negativa apareceram Johnson & Johnson (-0,63%) e Walmart (-1,22%).

(*) Relatórios consultados: B3, CVM, Banco ABC Brasil, BTG Pactual, Levante Research e Terra Investimentos.

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Fique por dentro!

Receba notícias como esta no seu e-mail.

Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App