Inflação nos EUA preocupa FED e impacta mercados pelo mundo e a Bolsa brasileira

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

A inflação nos EUA preocupa Jerome Powell, o presidente do Federal Reserve (FED, o Banco Central dos EUA).

Para tentar resolver essa questão, o BC americano pode aumentar os juros por lá, expectativa que afeta mercados em todo o mundo, incluindo a Bolsa brasileira (B3).

Em Nova York, o índice Dow Jones recuou 1,86%, aos 34.483 pontos. O índice S&P 500 caiu 1,90%, aos 4.597 pontos, enquanto o Nasdaq Composite desceu 1,55% e encerrou aos 15.537 pontos.

No Brasil, o Ibovespa caiu 1,55%, aos 101.915 pontos. O dólar fechou em alta de 0,48%, a R$ 5,6372 no mercado à vista da B3.

Aqui no Blog do Grana, você acompanha os principais assuntos que movimentam seus investimentos.

Confira na sequência do texto:

Destaque do dia: Inflação nos EUA

O presidente do FED, Jerome Powell, disse hoje que os riscos da inflação aumentaram.

De acordo com as declarações dele aos senadores norte-americanos, esse é o momento para o FED abandonar a linguagem “transitória” sobre a inflação.

Powell completou que o FED utilizará todas as ferramentas necessárias para conter os aumentos de preços.

Ele também disse que “é adequado debater o processo de redução de estímulos (taper) mais rapidamente”.

Os economistas e profissionais de mercado interpretaram essas declarações como uma expectativa de aumento de juros mais rápido nos EUA.

Na avaliação de Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora, o que gerou maior estresse ao longo da tarde e explica boa parte da queda vista foi a fala de Powell.

“Surpreendendo, o presidente do Fed afirmou que o banco central dos Estados Unidos provavelmente discutirá a aceleração da redução de suas compras de títulos em sua próxima reunião de política monetária, tendo em vista, principalmente, as expectativas de inflação elevadas para 2021 e 2022”, comentou o analista.

“Portanto, se essa nova variante gerar problemas mais graves e eventualmente medidas mais drásticas forem tomadas, como um lockdown, desta vez o Fed não irá alimentar o mercado com medidas de estímulos, na verdade, muito pelo contrário, o que gera maior preocupação sobre um processo de desaceleração econômica prevista para o ano que vem”, descreve Ribeiro, em seu relatório de fechamento de mercado.

Destaques da Bolsa: Ânima (ANIM3) e Yduqs (YDUQ3)

Ânima (ANIM3) e Yduqs (YDUQ3) estiveram entre os poucos destaques da Bolsa (B3) na manhã de hoje.

O fator que impulsionou a valorização das ações do setor de educação foi o fato que a Ânima vendeu 25% da divisão de medicina por R$ 1 bilhão, num convênio com a DNA Capital.

Com a notícia, os papéis das duas companhias avançaram na Bolsa. ANIM3 apareceu como a maior alta do mercado. Já YDUQ3 e Cogna (COGN3) figuraram entre as maiores altas do Ibovespa.

Ao final da sessão na Bolsa, a Ânima registrou alta expressiva de 26,63%, para R$ 8,56 por ação ON.

A movimentação da Ânima puxou a valorização de YDUQ3, que subiu 4,35%, e também de COGN3, que teve alta de 2,90%. (Veja detalhes do preço das ações no item Maiores Altas do Ibovespa).

Cenário no exterior

O CEO do laboratório Moderna, Stephane Bancel, disse ao Financial Times que as vacinas existentes serão menos eficazes no combate ao ômicron e pode levar meses antes que vacinas contra essa variante estejam disponíveis em escala

A empresa já havia informado antes que a empresa poderia lançar uma vacina reformulada já no início do próximo ano.

A notícia de que as vacinas atuais “não funcionam muito bem” contra a nova variante também influenciaram o humor negativo nos mercados internacionais, com mercados na Europa e nos Estados Unidos em baixa.

No Brasil, o impacto que já havia sido maior na sexta-feira passada, reapareceu nas ações do setor de viagens e turismo, sendo que CVC (CVCB3) teve baixa de 6,39% e figurou entre as maiores baixas do Ibovespa.

Maiores altas do Ibovespa

  • CCR (CCRO3): +6,95%, a R$ 12,31 por ação ON
  • Yduqs (YDUQ3): +4,35%, a R$ 21,83 por ação ON
  • Banco do Brasil (BBAS3): +3,34%, a R$ 31,84 por ação ON
  • Cogna (COGN3): +2,90%, a R$ 2,48 por ação ON
  • IRB Brasil (IRBR3): +2,86%, a R$ 4,31 por ação ON

Maiores quedas do Ibovespa

  • Locaweb (LWSA3): -10,09%, a R$ 13,19 por ação ON
  • Méliuz (CASH3): -9,12%, a R$ 2,99 por ação ON
  • CVC Turismo (CVCB3): -6,39%, a R$ 13,62 por ação ON
  • Iguatemi (IGTI11): -4,43%, a R$ 190 por unit
  • Banco Pan (BPAN4): -4,41%, a R$ 11,26 por ação PN

Ativos em destaque

Petrobras (PETR4/PETR3)

A Petrobras inicia fase para venda do Campo de Catuá, na Bacia de Campos. A empresa também assinou contrato com SBM Offshore para o Campo de Mero.

Ao final do pregão, PETR4 registrou queda de 0,14%, a R$ 29,43 por ação PN. Já PETR3 caiu 0,07% e fechou em R$ 30,14 por ação ON.

Arezzo (ARZZ3)

A Arezzo informou a compra marca de luxo Carol Bassi por R$ 180 milhões.

Arezzo pagará R$ 59,9 milhões em dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) aos seus acionistas.

Ao final do pregão ARZZ3 registrou queda de 1,52%, a R$ 67,16 por ação ON.

Embraer (EMBR3)

Embraer anunciou entendimento com Pratt & Whitney para programa de combustível de aviação 100% sustentável.

No encerramento dos negócios, EMBR3 registrou queda de 3,09%, a R$ 19,14 por ação ON.

Vale (VALE3)

O preço do minério de ferro caiu 0,85% no porto de Qindao, na China, para US$ 102,39 a tonelada.

Mesmo com a baixa do minério no exterior, a ação VALE3 fechou em alta de 0,65%, a R$ 69,95 por ação ON.

BDRs e ações EUA

Boeing (BOEI34) e American Express (AXPB34)

Com a notícia de que as vacinas atuais não são eficientes contra a variante ômicron do coronavírus, papéis relacionados ao setor de viagens voltaram a apresentar perdas hoje: Boeing (-0,33%) e American Express (-3,52%).

Pfizer (PFIZ34), Apple (AAPL34) e Tesla (TSLA34)

Na ponta positiva do mercado norte-americano, a Pfizer subiu 2,54% com a percepção de que o mundo precisará de mais vacinas e do desenvolvimento científico da empresa para combater a covid-19.

Ainda entre as empresas que fecharam com sinal positivo em Nova York, estavam Apple (+3,16%), que ficou entre as mais negociadas, e a Tesla, que avançou 0,68% no dia.

Microsoft (MSFT34) e outras empresas de tecnologia

Entre as mais negociadas em Nova York, a ação da Microsoft caiu 1,79%.

O sinal negativo também acompanhou outras empresas relacionadas ao setor de tecnologia: AT&T (-4,44%), Salesforce (-3,97%), Verizon (-2,69%), AMD (-2,19%), Cisco (-1,65%) e Intel (-1,60%).

(*) Relatórios consultados: B3, CVM, BTG Pactual, Banco ABC Brasil, Clear Corretora e Terra Investimentos.

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Fique por dentro!

Receba notícias como esta no seu e-mail.

Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App