Variante africana da Covid-19 impacta Bolsa e ações de Gol, Azul, CVC e Embraer

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

Variante da Covid-19 impacta bolsas

A preocupação com uma nova variante africana da Covid-19 impactou mercados em todo o mundo nesta sexta, 26 de novembro de 2021. O Ibovespa fechou em forte queda de 3,39%, aos 102.224 pontos.

Nos Estados Unidos, após a pausa do feriado de Ação de Graças, o S&P 500 registrou baixa de 2,27%, aos 4.594 pontos, enquanto o índice Dow Jones caiu 2,53%, aos 34.899 pontos. Já o Nasdaq Composite desceu 2,23%, aos 15.491 pontos.

Por lá, as ações de empresas aéreas e de companhias do setor de turismo e cruzeiros foram as mais impactadas.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou pela manhã a suspensão de voos de seis países do continente africano: África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

Com a notícia, as ações de Gol (GOLL4), Azul (AZUL4), Embraer (EMBR3) e CVC Turismo (CVCB3) desabaram na Bolsa (B3) e figuraram entre as maiores baixas do Ibovespa (veja lista no item “Maiores quedas do Ibovespa”).

No Ibovespa, apenas dois papéis, de empresas consideradas defensivas, subiram: Suzano (+0,15%) e Taesa (TAEE11).

Na sequência, aqui no Blog do Grana você acompanha as principais notícias que movimentaram os seus investimentos na Bolsa (B3).

Cenário externo

Na Europa, o mercado continua temoroso com as questões relacionadas ao aumento de casos e óbitos devido à Covid em diversos países do continente, além de notícia a respeito da nova variante da África do Sul, que fez com que o Reino Unido suspendesse temporariamente os voos com origem em seis países da África.

Na Ásia, bolsas fecharam em sua maioria em queda, com destaque negativo para Hong Kong e Japão, principalmente devido à notícia a respeito da nova variante.

Além disso, na Coreia do Sul foi divulgada a notícia que o número de novos casos de Covid no país subiu a nível recorde, conforme observou a equipe de research da Terra Investimentos, em relatório.

Segundo o analista Rafael Ribeiro, da Clear Corretora, dois fatores em especial que preocupam e ajudam explicar esse alto nível de aversão ao risco: o alto número de mutação (alteração genética) e o acelerado processo de contágio.

“Levando somente em conta a realidade brasileira, uma nova paralisação da economia reduziria drasticamente a perspectiva de crescimento para os próximos anos, que já não é grande coisa, além de elevar as projeções de inflação”, afirma Ribeiro, em relatório sobre o fechamento de mercado.

O analista argumenta que a nova variante está se espalhando muito rapidamente e, para se ter uma ideia, em menos de duas semanas já está dominando todas as infecções na África do Sul.

“O que ajuda a reforçar o temor de lockdown”, afirma Ribeiro.

Segundo análise do Citi, as próximas semanas serão críticas para determinar se a nova variante (a Ômicron) supera o Delta em transmissão e dados do mundo real para determinar as taxas de hospitalização e morte. 

Maiores altas do Ibovespa

  • Suzano (SUZB3): +0,15%, a R$ 54,81 por ação ON
  • Taesa (TAEE11): +0,11%, a R$ 35,94 por unit

Maiores quedas do Ibovespa

  • Azul (AZUL4): -14,18%, a R$ 23,30 por ação PN
  • Gol Linhas Aéreas (GOLL4): -11,81%, a R$ 15,08 por ação PN
  • CVC Turismo (CVCB3): -11,06%, a R$ 14,95 por ação ON
  • Méliuz (CASH3): -10,42%, a R$ 3,18 por ação ON
  • PetroRio (PRIO3): -8,74%, a R$ 20,15 por ação ON
  • Embraer (EMBR3): -8,41%, a R$ 19,27 por ação ON

Ativos em destaque

Azul (AZUL4)

As ações da Azul (AZUL4) desabaram 14,18%, sendo a principal baixa do Ibovespa no dia, com as preocupações relacionadas à nova variante da Covid-19. Os papéis da companhia, que estavam em leve alta no mês, passaram a acumular uma queda de 11,61% em novembro.

Gol (GOLL4)

Os papéis da Gol caíram 11,81%, também refletindo o medo da Covid-19. A companhia já vinha em trajetória de queda desde meados de maio. Agora, acumula uma baixa de 37,22% no ano.

CVC Turismo (CVCB3)

No setor de turismo, u

Banco Inter (BIDI11)

Com mais de 82% dos votos favoráveis, a Assembleia Geral aprovou a reorganização societária da instituição.

No final do pregão, BIDI11 encerrou em queda de 3,94%, a R$ 36,08 por unit.

Petrobras (PETR4)

A Petrobras informou que acordo judicial assinado com a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) em maio para encerramento de litígio e recuperação de crédito terá efeito positivo de R$ 132,6 milhões no resultado do quarto trimestre de 2021.

No final do pregão, PETR4 registrou queda de 3,88%, a R$ 28,47 por ação ON

Getnet (GETT11)

O leilão da semana passada para alienação de 121,7 mil ações movimentou R$ 251,4 milhões na B3.

GETT11 terminou a sessão em baixa de 5,57%, a R$ 3,39 por unit.


Localiza (RENT3)

A Localiza (RENT3) sugeriu ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que estaria disposta a vender a marca Unidas (LCAM3), se fosse necessário, para conseguir a aprovação do órgão regulador em relação ao plano de incorporar a locadora concorrente ao seu negócio.

A decisão sobre a fusão das duas companhias precisa ser dada pelo Cade até o dia 6 de janeiro.

RENT3 encerrou em baixa de 3,23%, a R$ 52,36 por ação ON.


Eletrobras (ELET6)

O Conselho da Eletrobras aprovou o Plano de Alienação de participações societárias minoritárias.

Foi concluída a transferência das ações da SPE Transmissora Sul Litorânea de Energia S.A. (TSLE) pertencentes à Companhia Estadual de Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-T) para a CGT Eletrosul.

No final do pregão, ELET6 registrou queda de 2,60%, a R$ 32,19 por ação PNB.


Petz (PETZ3)

A Petz convocou seus acionistas para assembleia geral extraordinária (AGE) em 16 de dezembro para deliberar sobre incorporação de ações da Zee Dog e aumento do capital social da companhia.

PETZ3 terminou a sessão em queda de 3,50%, a R$ 18,50 por ação ON.


IRB (IRBR3)

A CVM abriu processo administrativo contra dois ex-administradores por divulgação de informações falsas e manipulação de mercado, em episódio que gerou a maior crise da história da companhia.

No início de 2020, o então CEO, José Carlos Cardoso, e o CFO, Fernando Passos, divulgaram que o Berkshire Hathaway, de Warren Buffet, havia quase triplicado sua fatia na empresa. A informação, porém, foi desmentida pelo fundo.

O papel IRBR3 terminou o dia em baixa de 2,59%, a R$ 4,14 por ação ON.

BDRs e ações EUA

Boeing (BOEI34), American Airlines (AALL34) e United Airlines (R1CL34)

As companhias aéreas norte-americanas tiveram fortes quedas em Nova York: United Airlines (-9,57%), American Airlines (-8,79%) e Boeing (-5,51%).

American Express (AXPB34), Royal Caribbean (R1CL34) e Norwegian Cruise (N1CL34)

As empresas relacionadas ao setor de turismo e de cruzeiros marítimos tiveram as maiores perdas com a preocupação da nova variante da covid-19: Royal Caribbean (-13,22%), Norwegian Cruise (-11,36%) e American Express, dona da marca do cartão Amex (-8,62%).

Pfizer (PFIZ34), Verizon (VERZ34) e Apple (AAPL34)

Na ponta positiva do mercado norte-americano, a Pfizer disparou 5,78% com a percepção de que o mundo precisará de mais vacinas e do desenvolvimento científico da empresa para combater a covid-19.

A tecnológica Verizon subiu 0,27% e figurou entre mais negociadas por lá. Mas gigantes de tecnologia como Apple não escaparam do sinal negativo (-3,17%).

J&J (JNJB34), Procter & Gamble (PGCO34) e Walmart (WALM34)

Entre as gigantes do índice Dow Jones, o sinal também foi negativo: J&J (-0,65%), P&G (-0,80%) e Walmart (-1,12%).

(*) Relatórios consultados: B3, CVM, Clear Corretora, Levante Research e Terra Investimentos

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Fique por dentro!

Receba notícias como esta no seu e-mail.

Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App