Ações do setor de vestuário: Saiba a visão de Breno de Paula, analista do Inter

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

Hoje você vai conhecer um pouco mais sobre as ações do setor de vestuário que estão listadas na Bolsa (B3).

O analista Breno Francis de Paula, da Inter Research, encaminhou ao Blog do Grana, seu relatório de análise sobre as companhias deste segmento. Confira na sequência do texto!

Visão geral do analista

“Em nossa visão, C&A, Lojas Renner, Grupo SBF e Vivara devem se beneficiar da recuperação do setor ao longo dos próximos trimestres”, afirma.

De acordo com o analista, o segundo semestre, com destaque para o quarto trimestre, é tradicionalmente uma época mais favorável para as varejistas graças a Black Friday e o Natal.

“Acreditamos que, particularmente esse ano, dada a pressão inflacionária na renda real da população, os presentes e o consumo serão voltados para itens de menor ticket médio”, diz.

Segundo Breno de Paula, dessa forma, as famílias procurariam presentear com roupas e acessórios.

“Ao invés de eletroeletrônicos, itens de maior valor agregado”, conclui.

Conheça as expectativas para ações do setor de vestuário

C&A – Preço alvo de R$ 14 por ação CEAB3

De acordo com o relatório, no acumulado de 2021, as ações da C&A caíram mais de 40%.

“Esse desempenho insatisfatório, na nossa visão, não se justifica”, argumenta Breno Francis de Paula, em seu relatório de análise, diante das expectativas de melhores vendas no final do ano.

Lojas Renner – Preço alvo de R$ 51 por ação LREN3

Segundo o analista, a Renner segue capitalizada, mesmo após a recente aquisição da plataforma de vestuário Repassa.

De acordo com a análise, o follow on (aumento de capital via ações) realizado no final de abril e que levantou quase R$ 4 bilhões permanece boa parte em caixa.

“Dessa forma, esperamos que a Renner siga ativa nas operações de M&A (fusões e aquisições)”, afirma.

Grupo SBF – Preço alvo de R$ 42 por ação SBFG3

Em primeiro lugar, vale destacar que o Grupo SBF é distribuidora exclusiva da Nike no Brasil e dona da rede de lojas Centauro.

Além disso, o analista acredita que a volta das atividades esportivas e a maior preocupação com a saúde, sobretudo após a pandemia, beneficia a expansão do grupo SBF.

“A abertura de lojas, tanto de Centauro quanto de Nike, fará com que as receitas do Grupo sejam alavancadas (aumentadas) nos próximos anos”, aponta.

Vivara – Preço alvo de R$ 34 por ação VIVA3

Em princípio, um ponto favorável para a Vivara no curto prazo é a demanda reprimida causada pelo lockdown. Muitas famílias adiaram casamentos e os planos de terem filhos na pandemia.

“À medida que as restrições diminuam e a confiança sanitária aumenta, esses eventos retornam a normalidade com um fôlego maior, o que se traduz em receita para a Vivara”, prevê.

Riscos das ações do setor de vestuário

Além disso, das expectativas citadas acima, vale citar os riscos do setor mencionados pelo analista:

Antes de mais nada, Breno de Paula acredita que os principais riscos associados às empresas estão relacionados a um cenário mais competitivo no longo prazo.

Nesse sentido, ele observa que os movimentos de M&A se intensificaram nos últimos anos.

“Fator que pode alterar a dinâmica para algumas empresas no futuro”, alerta.

Por fim, ele argumenta que o cenário macro configura um risco ao passo que a pressão inflacionária diminui a
renda real da população.

Em consequência, conclui o analista, isso também diminui a confiança da população, fazendo com que o consumo discrionário seja evitado.

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Fique por dentro!

Receba notícias como esta no seu e-mail.

Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App