Saiba qual é a carteira de ações de José Cataldo, estrategista da Ágora

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

O experiente estrategista de análise da Ágora Investimentos, José Francisco Cataldo Ferreira, encaminhou ao Blog do Grana sua carteira de ações para os próximos meses.

Nesse artigo, você vai conhecer a estratégia de Cataldo para o mês de outubro e os principais argumentos dele e da equipe da análise da Ágora Investimentos para cada um dos papéis.

Confira na sequência do texto!

Cesp – Preço alvo de R$ 32 por ação CESP6

“A geradora está caminhando para resolver seus problemas e poderá se tornar uma boa geradora de caixa, com sua geração hidrelétrica pura”, afirma.

“O risco causado pela crise hídrica segue no radar”, alerta.

Mas ele ressalva que o preço atual da ação já “parece” considerar “parcialmente essa preocupação” com a crise hídrica.

Lojas Renner – Preço alvo de R$ 52 por ação LREN3

Segundo Cataldo, o progresso operacional da empresa “deve começar a dar aos investidores uma confiança renovada na capacidade da Renner de continuar a dominar o mercado de roupas” em um ambiente cada vez mais digital.

“A Renner possui os maiores recursos entre seus pares (concorrentes) para investir nas iniciativas que direcionam sua estratégia”, relata.

Itaúsa – Preço alvo de R$ 15 por ação ITSA4

“Acreditamos que a Itaúsa pode ser uma boa alternativa ao Itaú, tendo uma grande exposição ao banco, ao mesmo tempo em que está se diversificando cada vez mais, o que pode ser feito com a venda de participações em empresas de serviços financeiros (exemplo: XP Inc.) ou com a exploração de outros segmentos”, argumenta.

“Como referência, a Itaúsa vem estudando investimentos em distribuição de energia e agronegócio”, descreve o relatório assinado por Cataldo e a equipe de análise da Ágora.

Weg – Preço alvo de R$ 45 por ação WEGE3

“Vemos a Weg bem posicionada para o longo prazo, com um portfólio competitivo de produtos para energia renovável, motores elétricos para caminhões, armazenamento de energia e soluções da indústria 4.0”, afirma.

B3 – Preço alvo de R$ 18 por ação B3SA3

“Em relação ao ciclo de aumento da taxa de juros que pode preocupar alguns investidores, revisitamos nossas estimativas para incorporar uma taxa Selic maior do que inicialmente previsto e o impacto que isso está trazendo para os volumes”, informa Cataldo, no relatório que manteve a recomendação para B3.

“Vemos B3 descontada em relação aos seus pares (concorrentes) globais, e proporcionando um dividend yield de 5,8% para 2022”, calcula o estrategista.

Petrobras – Preço alvo de R$ 42 por ação PETR4

“Reconhecemos que a Petrobras é um nome potencialmente mais volátil à medida que nos aproximamos das eleições em 2022”, avisa o estrategista.

“Um risco chave a ser monitorado é a política de preços dos combustíveis praticados pela companhia”, alerta.

“A criação de um algum mecanismo para redução da volatilidade dos preços, como por exemplo, um fundo de estabilização, poderia ser um gatilho positivo para o papel”, afirma.

Ambev – Preço alvo de R$ 21 por ação ABEV3

“Em nossa visão, a Ambev pode se beneficiar no longo prazo da esperada redução dos preços dos grãos”, destaca trecho do relatório, o que significaria uma redução de custos para a cervejaria no futuro.

“Os principais riscos são a concorrência da Heineken e o atraso na recuperação do consumo de produtos de margens mais altas”, avisa o estrategista.

Embraer – Preço alvo de R$ 35 por ação EMBR3

“De junho para cá uma série de parcerias foram anunciadas pela Eve (subsidiária da Embraer), objetivando o desenvolvimento da mobilidade aérea urbana em variadas regiões do planeta”, descreve o relatório.

“Estas parcerias contribuem para a redução do risco de execução da Eve, que deve entregar seu primeiro eVTOL (aeronave elétrica de pouso e decolagem vertical) em 2026”, avalia o estrategista sobre o projeto da subsidiária da Embraer para desenvolvimento de uma espécie de “carro voador” elétrico.

“Olhando à frente, a Embraer divulgou seu plano estratégico de dobrar de tamanho em 2026 e recuperar os níveis históricos de entregas de aeronaves em 2023”, aponta.

“Vemos nosso preço justo, de R$ 35 por ação para 2022, incorporando o valuation (avaliação do preço) da Eve, em cerca de US$ 2 bilhões, que ainda não está refletido 100% no preço das ações da Embraer”, calcula.

Vale – Preço alvo de R$ 133 por ação VALE3

“Recentemente vimos o preço do minério passar por uma significativa queda, impulsionada por dados mais fracos vindos da China”, observa.

O relatório relaciona essa queda do preço do minério de ferro com a oferta sazonalmente mais forte de minério e preocupações com a incorporadora chinesa Evergrande, que passa por problemas de forte endividamento.

O estrategista lembra que o mercado imobiliário é responsável por cerca de 35% do consumo de aço da China.

“Esperamos que o governo chinês limite o impacto dos danos (da Evergrande), mas vemos possibilidade de volatilidade no minério no curto prazo”, alerta Cataldo, no texto assinado em conjunto com a equipe de análise da Ágora Investimentos.

BTG Pactual – Preço alvo de R$ 40 por ação BPAC11

“Reconhecemos que os aumentos das taxas de juros e as condições macro menos favoráveis esperadas para 2022 podem levantar dúvidas sobre o desempenho do banco”, avisa o estrategista.

“No entanto, continuamos construtivos em relação ao BTG Pactual e temos boas razões para isso”, afirma.

“O forte crescimento dos depósitos à vista pode estar refletindo uma evolução positiva em clientes digitais de varejo”, menciona o relatório, entre as “boas razões” sobre o BTG Pactual.

“Esperamos menos volatilidade nas receitas de vendas e negociações, uma vez que a atividade dos clientes parece estar ganhando participação”, completa o texto sobre o banco privado.

Visão de Cataldo sobre o mercado

“Acreditamos que os ativos brasileiros estão sendo negociados com um prêmio de risco muito alto. Em nossa opinião, eles estão precificando alto risco de ruptura macro”, argumenta.

“Nos próximos 12 meses, acreditamos que os dois principais riscos de ruptura dizem respeito à política fiscal e ao racionamento de energia”, alerta Cataldo e a equipe de análise da Ágora sobre os principais riscos.

“Em nosso cenário base, ambos os riscos diminuirão nos próximos meses. A normalização da política global pode adicionar volatilidade, mas não se tornar um grande obstáculo para o Brasil”, conclui o relatório Estratégia Mensal, divulgado pela Ágora para o mês de outubro.

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Fique por dentro!

Receba notícias como esta no seu e-mail.

Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App