Fundos de ações sobem taxa para cliente de alta renda e dão descontos no varejo

Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

As gestoras de fundos de ações mudaram levemente a política de remuneração e passaram a cobrar um pouco mais de clientes de alta renda em novos fundos de gestão mais ativa.

Ao mesmo tempo, os gestores adotaram taxas menores para aportes de entrada do público de varejo, ou seja, de pessoas físicas.

É que se observa no último relatório mensal da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) publicado na quinta-feira (23/09).

A Anbima reúne todos os dados sobre as taxas de administração cobradas pelas gestoras e divulga uma média de acordo com o tamanho do aporte dos cotistas de varejo.

Na sequência desse texto, você vai saber, quais são as taxas médias cobradas em fundos de investimentos. Confira!

O que você vai aprender nesse artigo:

  • Quais são as taxas de administração cobradas em fundos de ações
  • Quais são as taxas de administração cobradas em fundos de renda fixa
  • Quais são as taxas de administração cobradas em multimercados
  • Como foi a captação líquida em fundos listados na Bolsa
  • Como ficou o ranking de captação líquida em fundos de investimento

Quais são as taxas de administração cobradas em fundos de ações

De acordo com os dados da Anbima, na média, os cotistas de fundos de ações com aportes entre R$ 25 mil e R$ 100 mil tiveram um leve aumento nas taxas de administração, de 1,72% ao ano em dezembro de 2020 para 1,76% ao ano em junho de 2021. Clientes com aportes superiores a R$ 100 mil também passaram a pagar um pouco mais, de 1,92% ao ano em dezembro de 2020 para 1,96% ao ano em junho de 2021.

Na outra ponta, na média, as gestoras reduziram as taxas para clientes com tíquetes menores. Na faixa de R$ 0,01 até R$ 1 mil, a taxa de administração caiu de 2,03% ao ano para 1,81% ao ano. E na faixa intermediária, entre R$ 1000,01 e R$ 25 mil, a taxa de administração recuou de 2,44% ao ano para 2,41% ao ano, no mesmo período de comparação.

Quais são as taxas de administração cobradas em fundos de renda fixa

Nos fundos de renda fixa, as taxas de administração cobradas no varejo continuaram caindo, mas num ritmo “conta-gotas”. Confira na tabela abaixo:

De R$ 0,01 até R$ 1 mil de aporte: de 1,11% ao ano (dezembro de 2020) para 1,01% ao ano (junho de 2021)

De R$ 1.000,01 até R$ 25 mil: de 1,05% ao ano recuou para 1,04% ao ano

De R$ 25.000,01 até R$ 100 mil: de 0,72% ao ano caiu para 0,71% ao ano

Acima de R$ 100 mil de aporte: de 0,48% ao ano reduziu para 0,45% ao ano

Quais são as taxas de administração cobradas em multimercados

Nos fundos multimercados, as taxas subiram para clientes com baixo tíquete de entrada, enquanto os custos foram reduzidos para cotistas com aportes maiores. Confira na tabela abaixo:

De R$ 0,01 até R$ 1 mil de aporte: de 1,43% ao ano (dezembro de 2020) subiu para 1,51% ao ano (junho de 2021)

De R$ 1.000,01 até R$ 25 mil: de 1,91% ao ano recuou para 1,53% ao ano

De R$ 25.000,01 até R$ 100 mil: de 2,00% ao ano caiu para 1,97% ao ano

Acima de R$ 100 mil de aporte: de 0,93% ao ano reduziu para 0,80% ao ano

Como foi a captação líquida em fundos listados na Bolsa

Ainda de acordo com o ranking de gestores da Anbima, os fundos de índices listados na Bolsa (ETFs, ou Exchange Traded Funds) registraram captação líquida expressiva no último mês de agosto.

A captação líquida é a diferença positiva entre aportes e resgates nos fundos.

Veja o ranking de ETFs em agosto de 2021:

BlackRock + R$ 2,00 bilhões

XP Asset + R$ 490,59 milhões

BB DTVM + R$ 121,53 milhões

BTG Pactual + R$ 101,99 milhões

Itaú Asset + R$ 32,85 milhões

Veja o ranking de ETFs no acumulado de oito meses de 2021:

XP Asset + R$ 1,97 bilhão

Hashdex + R$ 1,89 bilhão

Itaú Asset + R$ 507,51 milhões

BTG Pactual + R$ 209,64 milhões

QR Capital + R$ 101,29 milhões

Como ficou o ranking de captação líquida de fundos de investimento*

Ranking de fundos de ações

BTG Pactual + R$ 20,646 bilhões

XP Asset + R$ 6,247 bilhões

Itaú Asset + R$ 4,155 bilhões

Safra Asset + R$ 2,197 bilhões

Bradesco Asset + R$ 846 milhões

Ranking geral

BB DTVM + R$ 156,61 bilhões

BTG Pactual + R$ 25,05 bilhões

XP Asset + R$ 20,73 bilhões

Caixa Asset + R$ 18,52 bilhões

Verde Asset + R$ 8,97 bilhões

(*) No acumulado do ano até 31 de agosto de 2021. O ranking geral inclui todas as categorias de fundos.

Fonte: Anbima

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Fique por dentro!

Receba notícias como esta no seu e-mail.

Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App