Share on twitter
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin

O mercado de ações levou um tombo em março de 2020, com alguns papéis caindo mais de 70%, como você vai ver aqui.

Mas existem empresas que depois disso deram a volta por cima, como o Magazine Luiza, o Banco Inter e várias outras.

O Grana Capital fez para você o levantamento abaixo, com 10 ações que dispararam depois do baque de março, sendo que duas delas chegaram a quintuplicar seu preço nesses nove meses!

10. Suzano (SUZB3): alta de 132%

  • Queda de janeiro a março: -40%
  • Alta de março a dezembro: 132%
  • Alta acumulada em 2020: 40%

As ações da Suzano caíram 40% entre o início do ano e o seu pior dia na bolsa, que foi 18 de março. No entanto, desde então esses papéis subiram 132%. Com isso, a empresa mais do que recuperou, em valor de mercado, as perdas causadas pela pandemia da covid-19. No ano, suas ações acumulam alta de 40%. 

9. Vale (VALE3): alta de 154%

  • Queda de janeiro a março: -37%
  • Alta de março a dezembro: 154%
  • Alta acumulada em 2020: 59%

Os papéis da Vale chegaram a ser negociados a menos de R$ 38,00 em março. No dia 22 de dezembro, estavam em torno de R$ 87, ou seja, subiram 154% no período. Entre janeiro e março, a queda havia sido de 37%. A alta acumulada no ano até o momento foi de 59%.

8. Bradespar (BRAP4): alta de 165%

  • Queda de janeiro a março: -36%
  • Alta de março a dezembro: 165%
  • Alta acumulada em 2020: 70%

A Bradespar, braço do banco Bradesco que investe em participações de empresas, aumentou o valor das suas ações em 165% nos últimos nove meses. Antes, do começo do ano até 20 de março, a empresa havia tido uma queda de 36%. Em 2020, as ações subiram 70%, sendo negociadas a cerca de R$ 64,00 em 22 de dezembro. 

7. Weg (WEGE3): alta de 174%

  • Queda de janeiro a março: -25%
  • Alta de março a dezembro: 174%
  • Alta acumulada em 2020: 106%

A Weg, fabricante de equipamentos elétricos, saltou 174% na bolsa desde março até 22 de dezembro, recuperando com folga a queda de 25% que havia acontecido nos três primeiros meses do ano. Com isso, comparando com o início de 2020, o valor das ações mais do que dobrou (alta de 106%). 

6. Magazine Luiza (MGLU3): alta de 251%

  • Queda de janeiro a março: -42%
  • Alta de março a dezembro: 251%
  • Alta acumulada em 2020: 105%

As ações do Magalu, um dos maiores fenômenos da história da bolsa brasileira, estão fazendo bonito mais uma vez. Depois de caírem 42% por causa da pandemia, mais do que triplicaram o valor entre março e dezembro (alta de 251%). Considerando o período de janeiro a 22 de dezembro, a subida foi de 105%. 

5. Usiminas (USIM5): +267%

  • Queda de janeiro a março: -61%
  • Alta de março a dezembro: 267%
  • Alta acumulada em 2020: 44%

Os papéis da Usiminas também mais do que triplicaram em nove meses. Entre março e dezembro, a alta foi de 267%. De janeiro a março, eles haviam caído 61%. Do início do ano a 22 de dezembro, a alta acumulada foi de 44%. 

4. Via Varejo (VVAR3): +291%

  • Queda de janeiro a março: -65%
  • Alta de março a dezembro: 291%
  • Alta acumulada em 2020: 37%

As ações da Via Varejo, dona das marcas Casas Bahia e Ponto Frio, quase quadruplicaram de março a dezembro. No período, a alta foi de 291%. Antes, no primeiro trimestre de 2020, esses papéis tinham experimentado uma queda de 65%. Em 2020, a alta até 22 de dezembro foi de 37%. 

3. Banco Inter (BIDI4): +389%

  • Queda de janeiro a março: -56%
  • Alta de março a dezembro: 389%
  • Alta acumulada em 2020: 115%

O Banco Inter, outro fenômeno recente da bolsa brasileira, perdeu 56% do seu valor de mercado nos três primeiros meses do ano. No entanto, depois disso as ações BIDI4 quase quintuplicaram de valor, com uma alta de 389% entre março e dezembro. Em 2020, o papel acumula aumento de 115%.

2. Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3): +419%

  • Queda de janeiro a março: -61%
  • Alta de março a dezembro: 419%
  • Alta acumulada em 2020: 105%

Agora chegamos às empresas que quintuplicaram o valor de mercado nos últimos nove meses. As ações da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) subiram de R$ 5,80 em março para R$ 30,08 em dezembro, o que representa uma alta de 419%. No primeiro trimestre, a queda tinha sido de 61%. Considerando de janeiro até 22 de dezembro, a alta foi de 105%.

1. PetroRio (PRIO3): +469%

  • Queda de janeiro a março: -71%
  • Alta de março a dezembro: 469%
  • Alta acumulada em 2020: 65%

A PetroRio, do setor de petróleo e gás, viu suas ações dispararem na bolsa após a queda de março. Daquele mês até 22 de dezembro, a alta foi de nada menos do que 469%. Os papéis saíram de R$ 10,35 naquele mês para mais de R$ 58,00 em dezembro, ou seja, quase sextuplicaram. Porém, de janeiro a março, a queda havia sido devastadora (-71%). Assim, tudo o que a empresa tinha perdido com a pandemia, em termos de valor de mercado, foi recuperado, acumulando ainda uma alta de 65% no ano.

E para pagar o Imposto de Renda disso tudo?

Quem investe em ações precisa pagar imposto todo mês que tiver lucro, além de fazer a declaração anual do Imposto de Renda.

O responsável por fazer esse cálculo, emitir as Darfs e pagar é o próprio investidor (você!), ou o seu contador, ou ainda alguma calculadora para IR (que cobra um valor mensal).

Ou então você pode baixar o Grana Capital para nunca mais precisar pensar nisso 😉

Gostou? Compartilhe nas Redes Sociais:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Fique por dentro!

Receba notícias como esta no seu e-mail.

Receba em primeira mão nossas novidades

Assine nossa Newsletter

Baixe já nosso App